Chamadas de artigos

Chamada para artigos para a Edição 24, 20202                                                                                                     Tema: Integração e Fragmentação da América do Sul
Período de submissão de artigos: 30 de março de 2020 até 16 de junho de 2020
Lançamento: agosto de 2020

No ano de 2019, a conjuntura sul-americana se caracterizou pela instabilidade política e econômica. Países como Venezuela, Peru, Equador, Chile e Bolívia, têm experimentado diferentes mostras de insatisfação popular ou fragilidade institucional. Como regra geral, observa-se a crescente fragmentação e polarização política, tanto interna como entre os países do subcontinente.

A inserção da América do Sul no comércio internacional é decorrente da organização desfavorável das plataformas regionais nas cadeias globais de valor, da infraestrutura deficiente e da falta de instrumentos adequados para o financiamento e garantias das exportações regionais. A desaceleração da economia mundial e regional, somada à queda do comércio intrarregional, provocaram diminuição da interdependência econômica no subcontinente.

Nos dez primeiros meses de 2019, se comparado com o ano precedente, as exportações do Brasil para os países da América do Sul diminuíram 23%, representando apenas o 12% das exportações totais do Brasil. Alguns dos fatores que poderiam explicar esse piso histórico das exportações do país para a região são:  a) a saída do Brasil do Convenio de Pagamentos Recíprocos (CCR) da ALADI em abril de 2019; b) o bloqueio dos instrumentos de governança de infraestrutura (COSIPLAN/IIRSA); c) a ausência de novos aportes do orçamento para o Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul (FOCEM); d) a retração da internacionalização das empresas brasileiras, e) as mudanças nas prioridades do BNDES, especialmente em relação ao financiamento à infraestrutura nos países vizinhos e f) uma nova diplomacia voltada para assuntos Norte-Sul em detrimento da tradição Sul-Sul empenhada no Brasil desde os anos 1960.

Esta edição será coordenada por André Bojikian Calixtre e René Ramírez Gallegos. Calixtre é economista especializado em Integração Latino-americana, Desigualdade e Desenvolvimento, e Técnico de Planejamento e Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA-Brasília). Ramírez é pesquisador da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) e foi ministro de planejamento e de ciência e tecnologia do Equador.  
 
Convidamos a todos os interessados nesta temática a submeter seus artigos.

 


Chamada para artigos para a Edição 24, 2020/3
Tema: China e América Latina
Período de submissão de artigos: 30 de junho de 2020 até 31 de julho de 2020
Lançamento: dezembro de 2020

As relações de América Latina com China têm se transformado nos últimos anos vinte anos em decorrência do impressionante crescimento e consolidação da segunda como potência econômica e geopolítica. A China se tornou o principal parceiro comercial da maioria dos países de América Latina e do Caribe, representando 10% das exportações totais e 18% das importações totais dessa região. Desde 2005, a China apresenta crescente participação no financiamento da América Latina, principalmente nas áreas de infraestrutura, extração e distribuição de hidrocarbonetos e energia.

A crescente desaceleração da economia mundial e as tensões comerciais e políticas entre a China e os Estados Unidos definem um panorama de ampliação das distorções no comércio internacional, que pode afetar negativamente os países da região. Isso é determinado tanto pela forma como a América Latina se insere nas cadeias globais de valor como pela recente fragmentação política que limita a capacidade de iniciativas regionais conjuntas.

Este número será dedicado a debater as relações contemporâneas entre a América Latina e a China em uma perspectiva ampla, envolvendo aspectos econômicos, sociais, políticos, históricos e culturais. Os coordenadores temáticos convidados são Cláudio Castelo Branco Puty – Ph.d em economia pela New School for Social Research, professor da pós-graduação em economia da Universidade Federal do Pará (UFPA) e professor associado da University for International Business and Economics (UIBE, Pequim) - e Liu Jia – professor da Faculdade de Estudos Estrangeiros da UIBE e pesquisador associado do Instituto de Estudos Latino-Americanos da Academia Chinesa de Ciências Sociais.

Convidamos a todos os interessados na temática a submeter seus artigos.