Níveis e Estruturas de Emprego no Brasil: algumas pistas para uma agenda de pesquisas

Níveis e Estruturas de Emprego no Brasil: algumas pistas para uma agenda de pesquisas

Radar nº 23 - Dezembro de 2012

As mudanças em curso nos níveis e nas estruturas do emprego no Brasil e suas implicações sobre as disponibilidades de força de trabalho com as competências requeridas têm chamado a atenção de diferentes pesquisadores e, em especial, de atores de políticas públicas.

Os meios de comunicação, por seu turno, com ampliada frequência, têm dedicado mais tempo e espaço às informações e análises a esse respeito, e, sem surpresas, criaram alguns bordões: “apagão de mão de obra”, “escassez de profissionais qualificados”, “obstáculo à inovação e competitividade” etc. No mais das vezes, noticia-se que faltam engenheiros nos segmentos mais críticos de infraestrutura e energia; que esta ou aquela especialização se torna mais raramente encontrável; ou, ainda, que determinados setores vêm sofrendo limitações à sua expansão pela falta ou pelo encarecimento da força de trabalho. Isto ocorre tanto nas aglomerações metropolitanas quanto nos rincões onde se implantam estradas, usinas e grandes empreendimentos.

Autor: Divonzir Arthur Gusso

   
icon pdf Acesse o artigo completo em PDF