GAP DE RENDIMENTOS POR GÊNERO NO BRASIL

O QUE MUDOU COM A PANDEMIA DA COVID-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.38116/ppp65art1

Palavras-chave:

pandemia, mercado de trabalho, discriminação, Oaxaca-Blinder

Resumo

A literatura sobre desigualdade de rendimentos tem se preocupado em investigar os seus determinantes, sobretudo os que se relacionam a grupos específicos, como gênero e raça. Investigações sobre os diferenciais de renda entre gêneros têm recebido atenção especial, uma vez que uma parcela do gap pode sinalizar determinado grau de discriminação no mercado de trabalho. Com o choque observado no mercado de trabalho em decorrência da pandemia da covid-19, essas questões tornam-se ainda mais relevantes. Desse modo, este trabalho tem como objetivo estimar e identificar possíveis alterações nos fatores que explicam o diferencial de rendimentos entre gêneros no contexto da pandemia da covid-19. A partir dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, entre 2019 e 2020, estimaram-se decomposições quantílicas da distribuição de rendimentos. Além disso, as equações salariais foram estimadas com base no viés de seleção observado no mercado de trabalho, por meio do procedimento de Heckman. Os principais resultados apontaram a manutenção da disparidade de rendimento por gênero, embora se observe a redução da intensidade dos parâmetros entre 2019 e 2020. Ademais, quanto aos efeitos características e coeficiente, esses pouco se alteraram, mas é notório que o principal determinante do diferencial de salários é o efeito discriminação.

Biografia do Autor

Diogo Brito Sobreira, Universidade Federal do Ceará

Mestre em economia pelo MAER/UFC; Doutor em economia aplicada pela UFV e pós-doutor pelo MAER/UFC

Referências

ALMEIDA, A. C. de et al. Reflexões sobre as relações entre desigualdade de gênero, mercado de trabalho e educação dos filhos. Santa Maria, Rio Grande do Sul: OSE/UFSM, 15 mar. 2021. (Textos para Discussão, n. 26).

ALON, T. et al. The impact of covid-19 on gender equality. Cambrigde, Estados Unidos: NBER, abr. 2020. (Working Paper Series, n. 26947).

AZZONI, C. R.; SERVO, L. M. S. Education, cost of living and regional wage inequality in Brazil. Papers in Regional Science, v. 81, p. 157-175, 2002.

BAERT, S.; PAUW, A.-S. de; DESCHACHT, N. Do employer preferences contribute to sticky floors? ILR Review, v. 69, n. 3, p. 714-736, 2016.

BARBOSA, A. L. N. de H. Ensaios sobre diferencial de salários e estimação de demanda no Brasil. 2012. Tese (Doutorado) – Escola de Pós-Graduação em Economia, Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro, 2012.

BARDASI, E.; SABARWAL, S.; TERRELL, K. How do female entrepreneurs perform? evidence from three developing regions. Small Business Economics, v. 37, n. 4, p. 417-441, nov. 2011.

BARROS, R. P. de; RAMOS, L.; SANTOS, E. Gender differences in Brazilian labor market. In: SCHULTZ, T. P. (Ed.). Investments in women’s human capital. Chicago; Londres: The University of Chicago Press, 1995.

BECKER, G. S. The economics of discrimination. Chicago: The University of Chicago Press, 1957.

BLINDER, A. Wage discrimination: reduced form and structural estimates. Journal of Human Resources, v. 8, n. 4, p. 436-455, 1973.

BRUSCHINI, M. C. A. Trabalho e gênero no Brasil nos últimos dez anos. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 132, p. 537-572, set.-dez. 2007.

CIRINO, J. F. Discriminação por gênero no mercado de trabalho: uma comparação do diferencial de rendimento entre homens e mulheres para os anos de 2002 e 2014. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 51, p. 221-253, jul.-dez. 2018.

COLLINS, C. et al. Covid-19 and the gender gap in work hours. Gender, Work Organization, v. 28, p. 101-112, jul. 2020.

CAMPANTE, F. R.; CRESPO, A. R. V.; LEITE, P. G. P. G. Desigualdade salarial entre raças no mercado de trabalho urbano brasileiro: aspectos regionais. Revista Brasileira de Economia, v. 58, p. 185-210, 2004.

CARVALHO, A. P. de; NERI, M. C.; SILVA, D. B. Diferenciais de salários por raça e gênero: aplicação dos procedimentos de Oaxaca e Heckman em pesquisas amostrais complexas. Ensaios Econômicos da EPGE, v. 638, dez. 2006.

COSTA, J. S.; BARBOSA, A. L. N. de H.; HECKSHER, M. Desigualdades no mercado de trabalho e pandemia da covid-19. Rio de Janeiro: Ipea, ago. 2021. (Texto para Discussão, n. 2684).

COSTA, R.; COSTA, E.; MARIANO, F. Diferenciais de rendimentos nas áreas rurais do Brasil. Revista de Política Agrícola, v. 25, n. 4, 2016.

DOBNER, L. de O. Análise dos diferenciais de rendimentos entre mulheres e homens por setores no Rio Grande do Sul. 2019. Monografia (Especialização) – Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2019.

FERNANDES, R.; PICCHETTI, P. Uma análise da estrutura do desemprego e da inatividade no Brasil metropolitano. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 29, n. 1, p. 87-112, abr. 1999.

FREGUGLIA, R. da S.; MENEZES-FILHO, N. A.; SOUZA, D. B. Diferenciais salariais inter-regionais, interindustriais e efeitos fixos individuais: uma análise a partir de Minas Gerais. Estudos Econômicos, São Paulo, v. 37, p. 129-150, 2007.

GIUBERTI, A. C.; MENEZES-FILHO, N. Discriminação de rendimentos por gênero: uma comparação entre o Brasil e os Estados Unidos. Economia Aplicada, v. 9, p. 369-384, 2005.

GOLDIN, C. et al. The expanding gender earnings gap: evidence from the LEHD-2000 Census. American Economic Review, v. 107, n. 5, p. 110-14, 2017.

GOMES, C. E. et al. Transições no mercado de trabalho brasileiro e os efeitos imediatos da crise econômica dos anos 2010. Economia e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 2, p. 481-511, 2019.

GOSLING, A.; MACHIN, S.; MEGHIR, C. The changing distribution of male wages in the UK. The Review of Economic Studies, v. 67, n. 4, p. 635-666, 2000.

GUIMARÃES, J. F. Changes in the earning distribution in Brazil, 1986-1995: human capital and institutional factors. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE ECONOMETRIA, 23., 2001, Salvador, Bahia. Anais... Salvador: 2001.

HECKMAN, J. J. Sample selection bias as a specification error. Econometrica, v. 47, n. 1, p. 153-161, jan. 1979.

HOFFMAN, R.; LEONE, E. T. Participação da mulher no mercado de trabalho e desigualdade da renda domiciliar per capita no Brasil: 1981-2002. Nova Economia, v. 14, n. 2, p. 35-58, maio-ago. 2004.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Indicadores IBGE: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua. Rio de Janeiro: IBGE, 6 ago. 2020.

JANN, B. A stata implementation of the Blinder-Oaxaca decomposition. Zurique: ETH Zurich Sociology, maio 2008. (Working Paper, n. 5).

KASSOUF, A. L. Saúde e mercado de trabalho. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 27, n. 3, p. 587-610, dez. 1997.

LACERDA, L. P. T.; ALMEIDA, A. N. Diferenciais de rendimentos entre os setores de serviços e da indústria no Brasil: uma análise de decomposição. Economia e Sociedade, v. 28, n. 1, p. 256-283, jan.-abr. 2019.

LEME, M. C. da S.; WAJNMAN, S. Tendências de coorte nos diferenciais de rendimento por sexo. In: HENRIQUES, R. (Org.). Desigualdade e pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2000. p. 251-270.

MACHADO, J. A. F.; MATA, J. Counterfactual decomposition of changes in wage distributions using quantile regression. Journal of Applied Econometrics, v. 20, n. 4, p. 445-465, maio-jun. 2005.

MARIANO, F. Z. et al. Diferenciais de rendimentos entre raças e gêneros, nas regiões metropolitanas, por níveis ocupacionais: uma análise através do pareamento de Ñopo. Estudos Econômicos, v. 48, n. 1, p. 137-73, 2018.

MATOS, R. S.; MACHADO, A. F. Diferencial de rendimento por cor e sexo no Brasil: 1987-2001. Econômica, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 5-27, jun. 2006.

MEIRELES, D. C.; SILVA, J. L. M. da. Diferenciais de rendimentos por gênero e raça no mercado de trabalho brasileiro. Gênero, Niterói, v. 20, n. 1, p. 73-95, 2019.

MELLY, B. Public-private sector wage differentials in Germany: evidence from quantile regressions. Empirical Economics, v. 30, n. 2, p. 505-520, 2005.

MELLY, B. Estimation of counterfactual distribution using quantile regressions. São Galo: University of St. Gallen, abr. 2006.

MENEZES, F. L. S. Decomposição dos diferenciais de rendimentos entre os trabalhadores brasileiros por quantis e categorias ocupacionais. 2013. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

MINCER, J. Schooling, experience and earnings. Nova York: Columbia University Press, 1974.

MORAES, P. P.; SABOIA, J. Desconcentração regional do setor de serviços na economia brasileira e sua articulação com a indústria de transformação: uma análise do período 2003/2014. Rio de Janeiro: Instituto de Economia, 2018. (Texto de Discussão, n. 2).

OAXACA, R. Male-female wage differentials in urban labor markets. International Economic Review, v. 14, n. 3, p. 693-709, out. 1973.

PETRONGOLO, B.; PISSARIDES, C. A. The ins and outs of European unemployment. American Economic Review, v. 98, n. 2, p. 256-62, 2008.

REBELLO, F. L. Diferencial de rendimentos por gênero para o Brasil e a região metropolitana de São Paulo nos anos de 2002, 2013 e 2015. 2018. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, Minas Gerais, 2018.

REICHELT, M.; MAKOVI, K.; SARGSYAN, A. The impact of covid-19 on gender inequality in the labor market and gender-role attitudes. European Societies, v. 23, n. 1, p. 228-245, 2021.

SALARDI, P. An analysis of pay and occupational differences by gender and race in Brazil: 1987 to 2006. 2012. Tese (Doutorado) – Universidade de Sussex, Falmer, 2012.

SALVATO, M. A.; SOUZA, P. F. L. de; FRANÇA, J. M. S. de. Ser mulher e negro no Brasil ainda leva a menores salários? Uma análise de discriminação para Brasil e regiões: 2001 e 2011. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 41., 2013, Foz do Iguaçú, Paraná. Anais... Foz do Iguaçu: Anpec, 2013. Disponível em: http://www.anpec.org.br/novosite/br/encontro-2013#AREA_13. Acesso em: 1o jun. 2018.

SANTOS, R. V.; RIBEIRO, E. P. Diferenciais de rendimentos entre homens e mulheres no Brasil revisitado: explorando o “teto de vidro”. In: SEMINÁRIOS DE PESQUISA, 2006, Rio de Janeiro. Anais... 2006. Disponível em: https://docplayer.com.br/71508628-Diferenciais-de-rendimentos-entre-homens-e-mulheres-no-brasil-revisitado-explorando-o-teto-de-vidro.html. Acesso em: 1o jun. 2018.

SCORZAFAVE, L. G.; MENEZES-FILHO, N. A. Participação feminina no mercado de trabalho brasileiro: evolução e determinantes. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 31, n. 3, p. 441-478, dez. 2001.

SHIMER, R. Reassessing the ins and outs of unemployment. Review of Economic Dynamics, v. 15, n. 2, p. 127-148, 2012.

SILVA, R. O. da. Análise do diferencial de rendimento por gênero e trabalho infanto- juvenil em contextos econômicos distintos. 2019. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2019.

SILVA, R. O. da; CIRINO, J. F.; CASSUCE, F. C. C. Diferencial de rendimento por gênero no mercado de trabalho em contexto de ciclo econômico. Revista Econômica do Nordeste, v. 52, n. 4, p. 185-207, 2021.

SOUZA, P. F. L. de. A importância da discriminação nas diferenças salariais: uma análise para o Brasil e suas regiões para os anos de 2002, 2006 e 2009. 2011. Dissertação (Mestrado) – Curso de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

SPENCE, M. Job market signaling. The Quarterly Journal of Economics, v. 87, n. 3, p. 355-374, 1973.

TOPEL, R. H. Regional labor markets and the determinants of wage inequality. The American Economic Review, v. 84, n. 2, p. 17-22, 1994.

WROBLEVSKI, B.; CATELAN, D. W.; SOUZA, K. B. de. Perda recente da ocupação no mercado de trabalho brasileiro: uma análise no contexto da pandemia de covid-19. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 49., 2021, on-line. Anais... 2021.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARROS, R. P. de; FRANCO, S.; MENDONÇA, R. Discriminação e segmentação no mercado de trabalho e desigualdade de renda no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, jul. 2007. (Texto para Discussão, n. 1288).

CAVALCANTI, T.; GUIMARÃES, J. F. Labor market discrimination: quantile regression approach. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE ECONOMETRIA, 21., 1999, Belém, Pará. Anais... São Paulo: Ed. USP, 1999.

Downloads

Publicado

2024-03-03

Como Citar

Ribeiro Leite, Áydano, & Brito Sobreira, D. (2024). GAP DE RENDIMENTOS POR GÊNERO NO BRASIL: O QUE MUDOU COM A PANDEMIA DA COVID-19. Planejamento E Políticas Públicas, (65). https://doi.org/10.38116/ppp65art1