ESTUDO QUALI-QUANTITATIVO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA NUTRISUS

A EXPERIÊNCIA DE QUEM FEZ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.38116/ppp65art7

Palavras-chave:

anemia, políticas de saúde, micronutrientes, avaliação em saúde, programas e políticas de nutrição, alimentação

Resumo

A Estratégia NutriSUS: Fortificação da Alimentação com Micronutrientes em Pó foi incorporada ao Programa Saúde da Escola (PSE) em unidades de educação infantil (UEIs) do Brasil, para crianças de 6 a 48 meses, de modo a diminuir a prevalência de anemia. Nesse sentido, o objetivo do estudo foi avaliar a experiência de implementação da Estratégia NutriSUS em UEIs. Trata-se de um estudo transversal quali-quantitativo realizado em 2015 com a amostra constituída por 23 UEIs. A coleta de dados foi realizada por meio de quatro questionários direcionados aos envolvidos, em diversos níveis no município, somados à produção de diários de campo. Os dados qualitativos foram observados por meio da análise de conteúdo temática; e os dados quantitativos, por meio da frequência para caracterização da amostra. Apesar do reconhecimento da importância da Estratégia NutriSUS, a experiência de implementação foi considerada negativa por falta de intersetorialidade e por comunicação malsucedida.

Biografia do Autor

Gabriele Caldas de Oliveira, Universidade Federal de São Paulo

Mestra em Ciências pelo Programa de Pós-Gradução em Alimentos, Nutrição e Saúde do Instituto de Saúde e Sociedade da Universidade Federal de São Paulo

Daniel Henrique Bandoni, Universidade Federal de São Paulo

Doutor em Nutrição em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo, Professor Adjunto do Instituto de Saúde e Sociedade da Universidade Federal de São Paulo, atua na avaliação de políticas e programas na área de alimentação e Nutrição.

Referências

ALVES, R. C. P. Percepções de educadoras e proposta institucional acerca dos cuidados infantis de saúde em creche. Universidade de São Paulo, 2006.

ÁVILA, S. de A. Análise do processo de implementação do Profae: insights para a construção de uma política pública inovadora de profissionalização em nível médio para o setor de saúde. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, 2004.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 1. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARROS, S. F. de; CARDOSO, M. A. Adherence to and acceptability of home fortification with vitamins and minerals in children aged 6 to 23 months: a systematic review. BMC Public Health, v. 16, n. 299, 2016.

BETTINI, R. A. Prevalência de anemia e fatores de risco associados em crianças de 6 a 24 meses no Município do Guarujá. Universidade de São Paulo, 2010.

BÓGUS, C. M. et al. Cuidados oferecidos pelas creches: percepções de mães e educadoras. Revista de Nutrição, v. 20, n. 5, p. 499-514, 2007.

BRASIL. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher – PNDS 2006: dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança. Brasília: Ministério da Saúde; Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, 2009.

BRASIL. Passo a passo Programa Saúde na Escola – tecendo caminhos da intersetorialidade. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. NutriSUS – fortificação da alimentação infantil com micronutrientes (vitaminas e minerais) em pó: manual operacional. Brasília: Ministério da Saúde, 2015a. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/nutrisus_estrategia_fortificacao_alimentacao_infantil.pdf.

BRASIL. NutriSUS – estratégia de fortificação da alimentação infantil com micronutrientes (vitaminas e minerais) em pó: guia de evidências. Brasília: Ministério da Saúde, 2015b.

CANÇADO, R. D.; LOBO, C.; FRIEDRICH, J. R. Tratamento da anemia ferropriva com ferro por via oral. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, v. 32, p. 114-120, 2010.

CUNHA, C. G. S. da. Avaliação de políticas públicas e programas governamentais: tendências recentes e experiências no Brasil. Revista Estudos de Planejamento, v. 12, p. 54, 2018.

DALFIOR, E. T.; LIMA, R. de C. D.; ANDRADE, M. A. C. Reflexões sobre análise de implementação de políticas de saúde. Saúde em Debate, v. 39, n. 104, p. 210-225, mar. 2015.

DHILLON, C. N. et al. Executive summary for the micronutrient powders consultation: lessons learned for operational guidance. Maternal and Child Nutrition, v. 13, 2017.

DE-REGIL, L. M. et al. Home fortification of foods with multiple micronutrient powders for health and nutrition in children under two years of age (review). Cochrane Database of Systematic Reviews, n. 9, p. 87, 2011.

DE PEE, S.; FLORES-AYALA, R.; ELENA JEFFERDS, M. Home fortification with micronutrient powders (MNP). Sight and Life, p. 25-26, 2013.

DIAS, P. C. et al. Desafios da intersetorialidade nas políticas públicas: o dilema entre a suplementação nutricional e a promoção da alimentação saudável em escolas. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, n. 12, p. 1-13, 2019.

FERREIRA, V. da R. S.; MEDEIROS, J. J. Fatores que moldam o comportamento dos burocratas de nível de rua no processo de implementação de políticas públicas. Cadernos EBAPE.BR, v. 14, n. 3, p. 776-793, 2016.

FONSECA, C. E. P.; SILVA, W. M.; GOUREVITCH, A. M. M. Educação alimentar e suplementação de micronutrientes: a visão de enfermeiras integrantes do Programa Saúde na Escola e do Programa NutriSUS. In: CONGRESSO EM DESENVOLVIMENTO SOCIAL, 5., 2016, Montes Claros, Minas Gerais. Anais... Montes Claros, 2016.

GARCIA, L. M. T. et al. Intersetorialidade na saúde no Brasil no início do século XXI: um retrato das experiências. Saúde em Debate, v. 38, n. 103, p. 966-980, 2014.

KODISH, S. et al. Understanding low usage of micronutrient powder in the Kakuma refugee camp, Kenya: findings from a qualitative study. Food and Nutrition Bulletin, v. 32, n. 3, p. 292-303, 2011.

LIMA, L. L.; ASCENZI, L. D. Implementação de políticas públicas: perspectivas analíticas. Revista de Sociologia e Política, v. 21, n. 48, p. 101-110, 2013.

MONÇÃO, M. A. G. Cenas do cotidiano na educação infantil: desafios da integração entre cuidado e educação. Educação e Pesquisa, v. 43, n. 1, p. 162-176, mar. 2017.

OLIVEIRA, A. Burocratas da linha de frente: executores e fazedores das políticas públicas. Revista de Administração Pública, v. 46, n. 6, p. 1551-1573, 2012.

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Worldwide prevalence of anaemia 1993-2005: WHO Global Database on Anaemia, Nutrition Landscape Information System. 2008.

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Use of multiple micronutrient powders for home fortification of foods consumed by infants and children 6-23 months of age – guideline. Geneva World Health Organization, 2011. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/44651/1/9789241502047_eng.pdf.

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. The global prevalence of anaemia in 2011. WHO Report, 2015. 48 p.

ORNELAS, A. L.; TEIXEIRA, M. G. C. Intersetorialidade ou diálogos setoriais? Reflexões a partir da experiência do Projeto Teias-Escola Manguinhos, Rio de Janeiro. Saúde em Debate, v. 39, n. 106, p. 659-670, set. 2015.

PASSONE, E. F. K.; PEREZ, J. R. R. Psicologia e análise de implementação de políticas públicas: um diálogo interdisciplinar. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 33, n. 3, p. 612-629, 2013.

PELLETIER, D.; DEPEE, S. Micronutrient powder programs: new findings and future directions for implementation science. Maternal and Child Nutrition, v. 15, 2019.

PRATES, R. P.; PEREIRA, M. M.; PINHO, L. de. Percepção dos pais sobre a implantação da Estratégia de fortificação da alimentação infantil com micronutrientes. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 29, n. 3, p. 431-438, 2016.

SCHAUER, C. et al. Experiences and lessons learned for planning and supply of micronutrient powders interventions. Maternal and Child Nutrition, v. 13, p. 1-18, 2017.

SILVA, P. L. B.; MELO, M. A. B. de. O processo de implementação de políticas públicas no Brasil: características e determinantes da avaliação de programas e projetos. Nepp – Unicamp, n. 48, p. 1-17, 2000.

SOUSA, O. M. da S. et al. Características dos processos produtivos de refeições na implantação do NutriSUS em municípios do Rio Grande do Norte. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, v. 12, n. 2, p. 411-430, 2017.

SOUZA, R. G. de. Poder local e implementação da política de saúde: dilemas da gestão descentralizada. Fundação Oswaldo Cruz: Escola Nacional de Saúde Pública, 2005.

TEIXEIRA-PALOMBO, C. N.; FUJIMORI, E. Conhecimentos e práticas de educadoras infantis sobre anemia. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, v. 6, n. 2, p. 209-216, 2006.

UNICEF – FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA. Annual Results Report Nutrition 2016. 2017. 86 p.

VERÍSSIMO, M. D. L. Ó. R.; FONSECA, R. M. G. S. da. O cuidado da criança segundo trabalhadoras de creches. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 11, n. 1, p. 28-35, 2003.

Downloads

Publicado

2024-03-03

Como Citar

Caldas de Oliveira, G., & Bandoni, D. H. (2024). ESTUDO QUALI-QUANTITATIVO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA NUTRISUS: A EXPERIÊNCIA DE QUEM FEZ. Planejamento E Políticas Públicas, (65). https://doi.org/10.38116/ppp65art7