OUSADIA PROVIDENCIAL OU REALISMO CORDATO? MARCHA FORÇADA, AJUSTE RECESSIVO E O BALANÇO DE PAGAMENTOS NA DÉCADA DE 1980

Autores

  • Ivan Colangelo Salomão PPGDE/UFPR
  • Augusta Pelinski Raiher UEPG

DOI:

https://doi.org/10.38116/ppp58art8

Palavras-chave:

II PND, ajuste recessivo, balanço de pagamentos

Resumo

Diante da polêmica que circunscreve os benefícios e os problemas resultantes do último evento de planejamento estatal no Brasil do século XX, este trabalho trata de analisar a contribuição dos investimentos do Segundo Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND) na reversão do deficit do balanço de pagamentos verificada no período 1983-1984. Para tanto, faz-se uma revisão bibliográfica de cunho histórico em conjunto com uma análise econométrica (vetor autorregressivo com mecanismo de correção de erros, em inglês vector error correction – VEC). Com base nestes dois instrumentos metodológicos, pretende-se argumentar que a melhoria no resultado das contas externas deu-se em virtude da maturação dos investimentos levados a cabo entre 1975 e 1979, não negando a importância de outros fatores, como as políticas cambial e de créditos efetivadas no período.

Biografia do Autor

Ivan Colangelo Salomão, PPGDE/UFPR

Professor do Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico da Universidade Federal do Paraná (PPGDE/UFPR).

Augusta Pelinski Raiher, UEPG

Professora do Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, do Programa de Pós-graduação em Economia e do curso de Economia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Downloads

Publicado

2021-11-22

Como Citar

Salomão, I. C., & Raiher, A. P. (2021). OUSADIA PROVIDENCIAL OU REALISMO CORDATO? MARCHA FORÇADA, AJUSTE RECESSIVO E O BALANÇO DE PAGAMENTOS NA DÉCADA DE 1980. Planejamento E Políticas Públicas, (58). https://doi.org/10.38116/ppp58art8