Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo td_antigos

TD 1322 - Exposição à Maternidade Precoce e Estratos Sociais das Adolecentes Brasileiras: Justificativas via Determinantes Próximos das Taxas de Fecundidade

Camillo Bassi / Brasília, janeiro de 2008

Este artigo tem como centro analítico o comportamento reprodutivo das adolescentes brasileiras. Mais objetivamente: das assimetrias comportamentais quando se associam maternidade precoce e estrato social desse público-alvo, com o fito maior de demonstrar quão mais expostas estão à ocorrência as jovens, por assim dizer, menos abastadas. À realização da tarefa, foi lançada mão dos "determinantes próximos" às taxas de fecundidade, a saber: nupcialidade, iniciação sexual, contracepção, insusceptibilidade pós-parto e aborto induzido - em que timing e acessibilidade se combinam, de forma a justificar - e, naturalmente, corroborar - o comportamento em pauta. Conclui-se que - excetuando a questão do aborto, cujos dados limitam-se a estudos de casos, e da insusceptibilidade pós-parto, que guarda relação com o estrato social, mas de que não se dispõe de dados voltados ao grupo das adolescentes - as adolescentes socioeconomicamente desfavorecidas são muito mais entrelaçadas com todos os demais quesitos, o que induz a refletir se o fato é, ou não, decorrente de ações deliberadas, de volições próprias.

 

acesseAcesse o documento (178.41 Kb)           

 

Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea