Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr

topo td_antigos

TD 0741 - Estimativa das Famílias Potenciais Beneficiárias de Programas de Assentamentos Rurais no Brasil

Mauro Eduardo Del Grossi / Brasília, julho de 2000

Há grande divergência, na literatura, sobre as famílias a serem beneficiadas por programas de política agrária no Brasil. Há uma convergência de que três grupos de famílias são prioritários: os de trabalhadores assalariados sem-terra; os de trabalhadores com acesso precário à terra, tais como os parceiros, arrendatários e posseiros; e os de proprietários-minifundistas que ocupam áreas abaixo do mínimo necessário para garantir a sobrevivência da família. A partir dos dados do Censo Agropecuário de 1995/1996 e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) de 1995, procurou-se estimar o número potencial para cada um desses subgrupos de famílias, tendo-se o cuidado de identificar as diferenças conceituais entre as duas fontes e suas implicações. Os resultados obtidos mostram que o público potencial beneficiário de ações fundiárias no Brasil varia em um intervalo entre 3,1 milhões e 6,4 milhões de famílias, o que depende da fonte utilizada e dos critérios utilizados. A maioria dessas fa-mílias reside na região Nordeste, seguida pelas regiões Sudeste e Sul.

 

acesseAcesse o documento (382.59 Kb)             


Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea