Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr SoundCloud
20/10/2021 22:10

Evento em homenagem a Anna Peliano ressalta iniciativas de combate à fome


Pesquisadora do Ipea falecida em agosto foi mentora do Mapa da Fome e colaboradora na formulação do Bolsa Família

As políticas de enfrentamento à pobreza, consideradas emergenciais para conter o recente avanço da fome no Brasil, impulsionado pelos impactos econômicos e sociais da pandemia, estiveram no centro do debate durante um webinar realizado nesta quarta-feira (20/10) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O evento homenageou a pesquisadora do Ipea Anna Peliano, mentora do projeto Mapa da Fome e colaboradora na formulação do Bolsa Família, falecida em agosto.

Lenita Turchi, diretora de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, classificou como emergencial a necessidade em reinserir as políticas de enfrentamento à fome na agenda de prioridades do país. “A fome tem pressa. É preciso retomar esse debate com urgência e de forma responsável neste momento em que ela volta a assombrar a realidade de milhões de famílias brasileiras”, alertou.

O webinar “A Fome tem Pressa: Reflexões sobre o Enfrentamento da Fome no Brasil” também contou com a participação do ex-presidente do Ipea e viúvo de Peliano, Fernando Rezende. “Ela deixou um legado ímpar para os envolvidos na formulação de políticas sociais de combate à extrema pobreza no país. É uma homenagem justa e que ocorre em momento oportuno, considerando os desafios atuais e o avanço da miséria no país”, disse Rezende.

Entre as iniciativas de maior destaque realizadas por Peliano, os participantes citaram o debate de caráter inovador sobre o programa Bolsa Família e o Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Mediadora do painel Fome e Pandemia da Covid-19, Kátia Maia, socióloga e diretora-executiva da Oxfam Brasil, afirmou que, desde seu início, a organização não governamental contou com o apoio da pesquisadora. “Em 2016, Ana já estava no Conselho Deliberativo e ajudou a moldar o trabalho da Oxfam como uma organização brasileira, que faz parte da rede internacional, mas que foi criada para focar nos desafios do Brasil”, explicou.

O professor Renato Maluf, coordenador da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, afirmou que seus diálogos com Peliano tiveram início na organização do primeiro Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). “A primeira conferência do Consea foi um momento muito marcante. Reuniu cerca de 2 mil pessoas em Brasília, de todos os lugares, muitas falas. Foi um Conselho inovador, com o Mapa da Fome”, lembrou.

Coordenador do Fórum das Centrais Sindicais, Clemente Ganz Lúcio, que trabalhou por anos no Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em muitos momentos ao lado de Ana Peliano, ressaltou a necessidade de o país ter uma estratégia sustentada de desenvolvimento econômico de longo prazo, com perspectiva de transformação da distribuição de renda. “As centrais sindicais, além valorização da política de crescimento do salário-mínimo, defendem uma ampliação do programa Bolsa Família, de um programa nacional articulado com os municípios, que aumente a inserção, a participação e a proteção”, pontuou.

O segundo painel da tarde, A Fome no Brasil: Como Enfrentar?, foi mediado pelo diretor-presidente do Instituto Ibirapitanga, André Degensjan. “Ana Peliano foi desde muito cedo uma referência muito central para mim, uma interlocutora com qualidades que aliavam rigor técnico, habilidade política e profundo respeito pelo outro”, elogiou. A ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (2011-2016), Tereza Campello, enfatizou que o enfrentamento à fome se faz por meio da construção de políticas que garantam renda, não somente de programas de transferência de renda.

Integrante do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil da Agenda 2030 e ex-presidente do Consea, Francisco Menezes falou da necessidade de sensibilização e mobilização da sociedade e do desafio de pensar para o país políticas que considerem grandes escalas. Ele destacou a indispensabilidade de mensuração dos problemas vividos pela população, como a insegurança alimentar e a fome. “Vivemos um processo no qual a Ana Peliano foi fundamental, de identificar essa realidade e trabalhar com todas essas questões”, concluiu.

Confira a íntegra do webinar

Assessoria de Imprensa e Comunicação
61 99427-4772
61 2026-5136 / 5240 / 5191
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente – Assessoria de Imprensa e Comunicação