Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr SoundCloud
20/10/2021 12:00
td-banner

TD 2704 - Assistência Técnica na Agricultura Brasileira: Uma Análise Sobre a Origem da Orientação Técnica por Meio do Censo Agropecuário de 2017

Caroline Nascimento Pereira e César Nunes de Castro / Rio de Janeiro, outubro de 2021    

 

A assistência técnica como instrumento de apoio e fonte de informação ao produtor rural passou por diversas transformações ao longo dos anos. Após breves tentativas de introdução do serviço, a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) ganhou força no período da tecnificação da agricultura nos anos 1960. O crédito agrícola forneceu os recursos para os produtores introduzirem o pacote tecnológico nas lavouras, que foi difundido por meio da assistência técnica entre os estabelecimentos agropecuários. Algumas décadas se passaram após a criação e o desmonte das principais instituições e entidades do setor, mas a assistência técnica continua sendo um serviço indispensável para melhorar o desempenho da atividade produtiva, inclusive com a possibilidade de redução de custos e ampliação da rentabilidade. Ademais, o papel dos extensionistas é fundamental para colaborar com questões sociais no campo, como organização produtiva, associativismo, entre outras. Apesar disso, apenas 20% dos estabelecimentos agropecuários brasileiros contam com algum tipo de orientação técnica, de acordo com levantamento do Censo Agropecuário 2017. A Ater pública, que possui grande capilaridade por todo o Brasil e capital humano qualificado, apresentou redução na cobertura entre o período de tempo compreendido pela realização dos censos agropecuários de 2006 e 2017. Em contrapartida, outras fontes de orientação técnica vêm apresentando expressivo crescimento, como a orientação própria e as cooperativas. O maior uso de outras fontes é bem-vindo, principalmente pelas especificidades de cada região e o tipo de agricultura praticada, porém, muitos estabelecimentos, principalmente no Norte e Nordeste do Brasil, não possuem acesso ao serviço, o que inviabiliza e prejudica a produção de muitos pequenos estabelecimentos.

Palavras-chave: Ater; cooperativas; empresas integradoras; Sistema S.

Technical assistance as a support tool and source of information for rural producers has undergone several transformations over the years. After brief attempts to introduce the service, ATER gained strength in the period of agricultural technification in the 1960s. Agricultural credit provided resources for producers to introduce the technological package to crops, which was disseminated through technical assistance among agricultural establishments. Some decades passed after the creation, and even dismantling, of the main institutions and entities in the sector, but technical assistance remains an indispensable service to improve the performance of the productive activity, in addition to the possibility of reducing costs and increasing profitability. Furthermore, the role of extension workers is essential to collaborate with social issues in the field, such as productive organization, associations, among others. Despite the proven importance, only 20% of Brazilian agricultural establishments have some type of technical guidance in the 2017 Agricultural Census. The public ATER, which has great capillarity throughout Brazil and qualified human capital, showed a reduction in performance among the 2006 Agricultural Census and 2017. In opposite, other sources of technical guidance have shown significant growth, such as self-orientation and cooperatives. The greater use of other sources is welcome, mainly due to the specificities of each region and the type of agriculture practiced, however many establishments, mainly in the North and Northeast of Brazil, do not have the resources and scale to hire their own employees or in the region there is no culture cooperatives, which prevents the production of many small establishments.

Keywords: Ater; cooperatives; integrating companies; System S.

 

  acesseAcesse o sumário executivoacesseAcesse o documento(7 MB)

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente – Assessoria de Imprensa e Comunicação