Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr SoundCloud
01/07/2021 15:25

Nota Técnica - 2021 - Junho- Número 84 - Diset

O Fomento a Tecnologias Alternativas no Transporte Coletivo por Ônibus para Reduzir a Evasão de Usuários E Ampliar a Segurança Energética Nacional

 

Autor: George Vasconcelos Goes

 

icon pdf Acesse o PDF (689 KB)      

A segurança energética tem sido um tópico pouco abordado no país, mas representa uma grave vulnerabilidade. A variação dos preços internacionais de combustíveis importados dificulta o planejamento energético nacional e onera as empresas e os usuários dependentes de tecnologias convencionais. Um dos efeitos dessa dependência é a instabilidade social e econômica, evidenciada, por exemplo, na greve dos caminhoneiros em 2018, na qual cerca de 2 milhões de caminhoneiros protestaram contra o aumento do preço do diesel. Tal evento interrompeu o abastecimento de combustíveis, medicamentos, transporte público etc., impactando o desenvolvimento econômico do país (BCB, 2018).

O diesel mineral corresponde a 42% da energia consumida pelo setor de transportes brasileiro (gráfico 1). Considerando apenas o transporte de passageiros por ônibus, a participação do diesel mineral em mistura com biodiesel atinge quase 100% do uso de energia, com poucos experimentos locais que demandam outras fontes como eletricidade, gás natural veicular (GNV), biodiesel (B100) e etanol hidratado.

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente – Assessoria de Imprensa e Comunicação