Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr

Início » Ipea na mídia » Sem categoria


28/07/2020 18:15

“Como podemos ser melhores do que as mulheres brancas, se não estamos no mesmo nível?”


Dia Internacional da Mulher: luta das mulheres negras contra preconceito, violência e desigualdade

Nota do BW do Brasil: As pessoas no Brasil geralmente gostam de se esconder atrás de retóricas vazias, como a frase “somos todos iguais”, o que lhes permite convenientemente não abordar a gravidade da desigualdade que é a própria raiz da sociedade brasileira. No fundo, as pessoas realmente sabem que pensamentos e crenças vêm à sua mente quando ouvem os termos “mulher branca” e “mulher negra”. É óbvio que essas duas mulheres não são pensadas em termos iguais, mesmo sem considerar os dados concretos, mas reconhecendo que isso significaria ter que lidar com as realidades da raça, o que a maioria das pessoas realmente não quer fazer. Quero dizer, como podemos acreditar realisticamente “somos todos iguais” quando a maioria das posições de comando no país pertence a homens e às posições que as mulheres ocupam, a maioria pertence a mulheres brancas? Não vou entrar em detalhes aqui porque, desde 2011, a posição das mulheres negras brasileiras foi minuciosamente documentada em várias postagens anteriores neste blog, mas em reconhecimento ao Dia Internacional da Mulher, algumas das realidades da luta das mulheres negras no Brasil são enfatizadas.

Saiba mais

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea