Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr SoundCloud
16/07/2014 09:21

Boletim analisa a indústria naval brasileira

Artigos apresentam prévia de temas que serão tratados no livro ‘Ressurgimento da indústria naval no Brasil’, a ser publicado este ano pelo Instituto

O boletim Radar nº 33, apresentado nesta quarta-feira, 16, no Ipea, em Brasília, avaliou as perspectivas do setor naval no Brasil. Dois artigos da publicação mapearam e analisaram as potencialidades e fraquezas do setor, bem como as características da indústria de navipeças. Os estudos, que trazem uma prévia de temas que serão tratados no livro Ressurgimento da indústria naval no Brasil, foram apresentados pelos técnicos de planejamento e pesquisa do Ipea Fabiano Pompermayer, José Mauro de Morais e Jean Marlo Pepino de Paula.

Pompermayer analisou as perspectivas para os próximos 25 anos da Indústria Naval a partir das políticas voltadas ao setor. Para isso, foi feito um mapeamento das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças deste setor brasileiro no artigo Perspectivas da Indústria Naval Brasileira considerando as capacitações e demandas domésticas e a concorrência Internacional, de autoria conjunta com Carlos Campos e José Mauro de Morais, ambos técnicos de planejamento e pesquisa do Ipea.

A análise permitiu identificar as principais forças da indústria naval brasileira, em especial as políticas públicas de financiamento bem aprimoradas em relação às existentes nas décadas de 1970 e 1980, além da boa capacitação das empresas de projetos de engenharia naval e fornecedoras de equipamentos”, enfatiza o artigo. Pompermayer destacou, no lançamento da publicação, que uma ameaça interna à indústria naval é a possibilidade de perpetuação da proteção de mercado e do financieamento facilitado. “Se não se planeja como reduzir os incentivos, as empresas tendem a se acomodar e não se prepararem para a concorrência externa”, afirmou.

Já o artigo Caracterizações preliminares da Indústria de Navipeças – principais CNAES do setor, apresentado por Jean Marlo Pepino de Paula, tem como principal objetivo divulgar a metodologia utilizada para identificar os principais segmentos da indústria brasileira para a cadeia da construção naval. Por meio de uma revisão da bibliografia, o autor identificou quatro aspectos relevantes e os respectivos segmentos CNAEs associados. Tal metodologia auxilia na avaliação pormenorizada das empresas presentes no Catálogo Navipeças, organizado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP). De acordo com de Paula, as empresas reunidas no catálogo representam cerca de 200 mil postos de trabalho.

Serviços tecnológicos
Por fim, as aquisições de firmas e laboratórios brasileiros por grandes firmas internacionais prestadoras de serviços tecnológicos foram analisadas pelo pesquisador Luís Fernando Tironi, no artigo Globalização em Serviços Tecnológicos. O autor considera que a crescente presença no país de prestadoras globais de serviços tecnológicos deve ser levada em conta na formulação das políticas nacionais de desenvolvimento.

Leia o boletim Radar nº 33

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente – Assessoria de Imprensa e Comunicação