Perguntas Frequentes

1. É obrigatória a participação no Programa?

Não. A adesão ao PdG-Ipea é voluntária e os interessados poderão fazer a solicitação a suas respectivas chefias imediatas.

2. Quem pode participar?  

Todo servidor público, empregado público e contratado temporário em exercício no Instituto pode solicitar sua adesão ao PdG-Ipea, observadas as limitações estabelecidas na Portaria nº 216/2022.

Estará vedada a adesão daqueles que tiverem sido desligados do PdG-Ipea, nos últimos 12 meses em razão do descumprimento de metas definidas em plano de trabalho em participação anterior no PdG-Ipea.

3. Os estagiários podem participar do PdG?  

Os estagiários podem participar do PdG-Ipea, executando todas as atividades de seu plano de trabalho nas instalações físicas do Ipea.

4. Posso solicitar minha adesão ao PdG a qualquer momento?  

Sim. A adesão ao PdG-Ipea é voluntária e cabe aos interessados solicitar às suas respectivas chefias imediatas sua adesão ao PdG-Ipea, ato que deverá ser acompanhado da apresentação de proposta de plano de trabalho e indicação do regime de trabalho para execução das atividades.

5. Qual é o procedimento para solicitar a adesão ao PdG?  

A adesão ao PdG-Ipea é voluntária e cabe aos interessados solicitar a suas respectivas chefias imediatas sua adesão ao PdG-Ipea, por e-mail ou processo SEI, ato que deverá ser acompanhado da apresentação de proposta de plano de trabalho e indicação do regime de trabalho para execução das atividades. Cabe à chefia imediata avaliar a conveniência e o atendimento ao interesse do serviço público da adesão de seus subordinados ao Programa de Gestão. Após a autorização da chefia imediata, o interessado registrará no sistema PdG-Ipea o seu plano de trabalho, assinará e o enviará à sua chefia imediata, para assinatura.

6. Quando o plano de trabalho entra em execução?  

Um plano só entra em execução na data indicada no campo “Data Prevista para Início do Plano de Trabalho” e após a assinatura do participante e da chefia imediata.

7. Como faço para solucionar problemas relacionados à adesão do PdG?  

Se você quer aderir ao PdG, deve encaminhar e-mail para seu coordenador informando a adesão e que, nos termos da Portaria 216/2022 do Ipea, seu plano estará no sistema para homologação.

8. Quem determina a complexidade das atividades a serem entregues?  

Segundo as Diretrizes do Programa de Gestão, o grau de complexidade é definido de acordo com os parâmetros do quadro 1, constante na página 9, levando em consideração os registros no campo do detalhamento da atividade. A determinação da faixa de complexidade de cada uma das atividades será acordada com a chefia no momento de elaboração do Plano de Trabalho, considerando os parâmetros definidos para cada uma.

9. Como será a distribuição das horas das atividades?   

A distribuição das horas das atividades levará em consideração a jornada de trabalho. As horas das atividades serão distribuídas ao longo do cronograma de trabalho, preenchendo as horas disponíveis na ordem cronológica. Feriados, finais de semana e suspensões postergam a conclusão da atividade.

10. O Ipea-Projetos será desativado?   

No momento não há previsão de desativar o Ipea-Projetos.

11. Quem precisa apresentar relatório mensal de atividades?   

No PdG-Ipea, de acordo com o art. 7º da Portaria 216, do Ipea, será necessário acompanhamento mensal da execução do plano de trabalho. Caso a execução do Plano de Trabalho ultrapasse o mês-calendário, além das entregas previstas, o participante elaborará também relatório mensal de atividades executadas e em andamento a ser entregue para sua chefia imediata até o quinto dia útil de cada mês. Os servidores que voltarem às atividades presenciais terão sua assiduidade aferida pelo ponto eletrônico.

12. A respeito de acompanhamento do PdG pela chefia, como vai ser elaborado e extraído o relatório de acompanhamento mensal, conforme previsto nos art. 7 da Portaria do Ipea n° 216?   

Até o quinto dia útil de cada mês será elaborado um relatório das atividades desenvolvidas pelos participantes no PdG-Ipea no mês anterior para fins de acompanhamento da chefia imediata. O relatório sempre que possível, será gerado pelo sistema.

13. O plano de trabalho será aprovado apenas pelo coordenador ou os diretores também irão apreciá-lo?  

De acordo com os artigos 13 e 14 da Portaria 216, a adesão ao PdG-Ipea é voluntária e cabe aos interessados solicitar a suas respectivas chefias imediatas sua adesão ao PdG-Ipea, ato que deverá ser acompanhado da apresentação de proposta de plano de trabalho. Cabe à chefia imediata avaliar a conveniência e o atendimento ao interesse do serviço público da adesão de seus subordinados ao Programa de Gestão. Entretanto, nada impede que os diretores possam apreciá-los.

14. Como se dá a atualização do plano?   

Atualizações do plano, caso sejam necessárias, poderão ocorrer durante toda a vigência do Plano de Trabalho, através de repactuações entre a chefia e o servidor.

15. O procedimento de comprovação de frequência (no SISREF) continuará o mesmo para todas as modalidades de teletrabalho?  

Os participantes do PdG-Ipea ficam dispensados do controle de frequência e o código a ser lançado no SISREF pelas chefias imediatas de ser o 389 – Teletrabalho Integral.

16. No período de férias, as datas das atividades do plano serão automaticamente estendidas? Como será esse processo?  

O sistema do PdG-Ipea não se comunica com o sistema de administração de pessoal. Assim, é necessário que o servidor insira os dias de férias para que o plano de trabalho fique suspenso durante esse período.

17. O treinamento no Sistema do Programa de Gestão (PdG) ficará gravado em algum lugar?   

Sim, o treinamento foi gravado e está disponível no site do PdG-Ipea, na aba de Capacitação.

18. Os planos de trabalho dos servidores que aderirem ao PdG substituirão os já acordados e inseridos nas avaliações de desempenho?  

O acompanhamento e avaliação das atividades do PdG-Ipea são gerenciais e não têm relação com a avaliação de desempenho do participante e, tampouco, subsidiará a avaliação institucional do Ipea.
Se você já tem um plano de trabalho pactuado com seu chefe, ele pode ser lançado no sistema. Lembre-se de que o plano de trabalho não são metas, são atividades específicas.

19. Posso incluir cursos de capacitação no meu plano de trabalho?   

Sim, você pode incluir curso de capacitação no seu Plano de Trabalho.

20. Há limite mínimo ou máximo de carga horária no curso de capacitação que posso incluir no Plano de Trabalho?  

Veja que a participação em cursos tem várias complexidades, que preveem tempos diversos. Escolha a que se adequa à carga horária do curso.

22. Como proceder com demandas imprevisíveis e, portanto, que surgirão depois da homologação do plano de trabalho?   

Quando surgirem demandas que não estavam previstas no plano de trabalho inicial, o servidor, em comum acordo com a chefia, deverá repactuar o seu plano de trabalho. Sugerimos algumas alternativas:
a) Se o plano é inferior a 6 meses, essas demandas poderão ser incorporadas no plano de trabalho inicial, sem alterar as atividades previamente pactuadas;
b) Se o plano já está no limite dos 6 meses, o servidor deverá, em comum acordo com sua chefia, excluir alguma atividade do plano de trabalho ou alterar a complexidade prevista nas existentes.
Essas alterações serão acordadas com a chefia, que deverá assinar novamente o plano.

23. O plano de trabalho pode incluir previsões de atividades que depois podem ser alteradas sem que isso represente descumprimento do plano de trabalho original?  

Exatamente. As repactuações devem ocorrer ao longo da execução do plano, com inclusões de atividades que não estavam previstas e exclusões. Como haverá o acordo com a chefia imediata, não se caracteriza o descumprimento do PdG-Ipea.

24. Caso uma demanda nova surja, é possível que outra tenha que sair?  

Sim, é possível. Para isso, será necessário ajustar o plano, incluindo nova atividade e excluindo a atividade que não será mais executada naquele período. Lembrando que essas alterações serão acordadas com a chefia, que deverá assinar novamente o plano.

25. Que tipo de atividade é aceita como componente de TD ou de Nota Técnica?  

Nas páginas 34 a 36 das Diretrizes do Programa de Gestão, está apresentada a tabela de componentes. Caso algum componente diferente do que está listado seja executado, a orientação é de que inclua a atividade “Outras tarefas (descrever)” do grupo em questão e no campo “Detalhamento” do sistema do PdG informe essa atividade. Ressalta-se que os componentes relacionados a devoluções dos pareceristas ou do editorial correspondem aos grupos “Publicação” (de TD ou de Nota Técnica).

26. Estou com dificuldade em cadastrar mais atividades no meu plano de trabalho no Sistema do Programa de Gestão do Ipea. Como proceder?  

Conforme previsto na Portaria 216 do Ipea, os Planos de Trabalho devem ter no máximo 6 meses. De qualquer forma, a CGTIC pode ser acionada e verificar se há algum erro no sistema para não estar aceitando o cadastramento das outras atividades.

27. Até quando pode ser feita a pactuação e homologação do Plano de Trabalho?  

A pactuação e a homologação de um plano de trabalho podem ser feitas a qualquer hora, desde que antes do respectivo início do Plano de Trabalho.

28. Quando começa e quando termina o período do plano de trabalho?  

O servidor e a chefia definem o início e o término do Plano de Trabalho, lembrando que o plano deverá ser homologado pela chefia e servidor até o seu início e que a duração máxima é de 6 meses corridos.

29. Existe um modelo de plano de trabalho?  

Nas Diretrizes do Programa de Gestão há dois exemplos, que podem auxiliar na elaboração dos planos.

30. Estou elaborando meu Plano de Trabalho e a grande dificuldade deriva dos trabalhos que dependem de outros membros e equipes, inclusive externos. Nesse sentido, fico na dúvida se incluo ou não alguns itens.  

O Plano de Trabalho deve ser criado com prazo de duração de 6 meses. Dentro desse período, ele pode ser repactuado para ajustes combinados entre a chefia e o servidor.

31. Como se dará o acompanhamento pela chefia dos planos de trabalho que ultrapassarem 30 dias?  

De acordo com o art. 8º da Portaria do Ipea nº 216 , para os planos de trabalho superiores a trinta dias, após o decurso de metade da duração prevista para este plano de trabalho, a chefia imediata realizará uma avaliação da execução do Plano de Trabalho até o momento e da exequibilidade do restante do plano de trabalho podendo então solicitar, se for o caso, proposta de repactuação do plano de trabalho.

32. Não consigo acessar o botão "Situação", na parte de acompanhamento do plano. Está bloqueado. É isso mesmo?   

Sim, essa opção só ficará disponível quando o plano de trabalho estiver vigente.

33. Feito todo o preenchimento do Plano de Trabalho, basta clicar no botão "Salvar"? É isso que grava o plano de trabalho? Então, eu assino e o sistema envia automaticamente à chefia?   

Sim, “Salvar plano” grava o plano de trabalho no sistema. Você receberá um e-mail de notificação de salvamento de um Plano de Trabalho e sua chefia também. Depois, você assina o PT e sua chefia mais uma vez receberá um e-mail, só que desta vez informando que há PT para ela assinar.

34. Elaborei, salvei e assinei meu plano de trabalho, mas ainda tenho algumas dúvidas e precisaria voltar atrás na assinatura. Vocês podem me devolver o plano sem a assinatura?  

Não é necessária a devolução do Plano de Trabalho, pois o seu PT sempre estará disponível para que você acesse e altere conforme sua necessidade. Porém, caso o PT contenha pelo menos uma assinatura, você deverá clicar em "Salvar Plano", dessa forma sua assinatura será cancelada e a alteração será permitida.

35. Como ficará o controle de frequência?  

Em vez da gestão baseada no controle de presença física, no PdG-Ipea será considerada a entrega do trabalho nas horas preestabelecidas bem como a sua qualidade.

36. Como serão aferidas as entregas?  

A aferição das entregas previstas no plano de trabalho será realizada no sistema informatizado disponibilizado pelo Ipea, mediante análise fundamentada da chefia imediata, em até 40 dias após a conclusão da atividade.

37. É possível repactuar o plano de trabalho?  

Pode ocorrer a repactuação do plano de trabalho por necessidade do serviço, na hipótese de surgimento de demandas prioritárias que não tenham sido previamente acordadas, ou por acordo da chefia imediata e do participante. O participante pode solicitar à chefia imediata a repactuação do plano de trabalho a qualquer momento desde que fundamente sua solicitação.

38. Os participantes do PdG-Ipea poderão ser convocados a comparecer presencialmente?  

Os participantes do PdG-Ipea na modalidade de teletrabalho poderão ser convocados a qualquer momento a comparecer presencialmente à sua unidade de exercício, quando houver interesse da chefia imediata, fora do pactuado no seu plano de trabalho. A convocação será feita por meio de mensagens de correio eletrônico institucional e contato telefônico da chefia imediata ou de sua ordem. Após o recebimento da convocação os participantes do Programa de Gestão terão como prazo máximo de reapresentação: um dia útil, em geral; e dez dias úteis, no caso de participantes que atendam aos critérios dos incisos I, II e III do Art. 11, da Portaria 216.

39. Em quais hipótese os participantes do PdG-Ipea podem ser desligados do programa?  

Os participantes serão desligados do PdG-Ipea: por solicitação própria, observada antecedência mínima de dez dias; no interesse da Administração, por razão de conveniência, necessidade ou redimensionamento da força de trabalho, devidamente justificada, observada antecedência mínima de dez dias; pelo descumprimento das metas e obrigações previstas no plano de trabalho e do termo de ciência e responsabilidade; pelo decurso de prazo de participação no programa de gestão, quando houver, salvo se deferida a prorrogação do prazo; em virtude de remoção, com alteração da unidade de exercício; em virtude de aprovação para a execução de outra atividade não abrangida pelo programa de gestão; pela superveniência das hipóteses de vedação previstas na norma de procedimentos gerais da unidade, quando houver; e pelo descumprimento das atribuições e responsabilidades.

40. O que acontece se uma ou mais atividades forem avaliadas como não aceitas?  

Quando a entrega de uma atividade for avaliada como não aceita, os participantes poderão evitar seu desligamento do PdG-Ipea quando, sem prejuízo do plano de trabalho em curso, compensarem a(s) atividade(s) cujas entregas foram avaliada(s) como não aceita(s), observado o prazo improrrogável de até 30 (trinta) dias, desde que autorizada pela sua respectiva chefia imediata.

41. Como se dará o acompanhamento mensal da execução do plano de trabalho?  

Até o quinto dia útil de cada mês será elaborado um relatório das atividades desenvolvidas pelos participantes no PdG-Ipea no mês anterior para fins de controle da efetiva execução das atividades. Esse relatório será, sempre que possível, gerado pelo sistema de acompanhamento do PdG-Ipea e deverá ser aprovado pela chefia imediata.

42. Como será o acompanhamento pela chefia dos planos de trabalho superiores a trinta dias?  

Para os planos de trabalho superiores a trinta dias, após o decurso de metade da duração prevista para este plano de trabalho, a chefia imediata de cada participante realizará uma avaliação da execução do Plano de Trabalho até o momento e da exequibilidade do restante do plano de trabalho podendo então solicitar, se for o caso, proposta de repactuação do plano de trabalho.

43. Como proceder para solicitar minha permanência no PdG-Ipea?  

Até cinco dias úteis antes da data de encerramento do plano de trabalho em curso, os participantes que quiserem solicitar sua permanência no PdG-Ipea deverão submeter a suas respectivas chefias imediatas proposta de plano de trabalho para o período subsequente.