• Alto Contraste
  • VLibras

Perguntas Frequentes

A missão do Ipea é “aprimorar as políticas públicas essenciais ao desenvolvimento brasileiro por meio da produção e disseminação de conhecimentos e da assessoria ao Estado nas suas decisões estratégicas”. O conhecimento é estratégico não apenas para o Ipea, mas para todo o Estado Brasileiro. A gestão adequada desse conhecimento é essencial para a eficiência do Estado. O observatório contribui para o cumprimento da missão do Ipea à medida que fornece suporte às atividades de pesquisa que embasam a criação de uma política de gestão do conhecimento para o setor público, a fim de melhorar a eficiência do Estado. O Ipea tem um longo histórico de pesquisa na área de gestão do conhecimento na administração pública, onde foi possível acompanhar o crescimento do nível de maturidade de GC nessas instituições. O Observatório Ipea de Gestão do Conhecimento é uma base de conhecimento, onde são implementadas diversas práticas de GC, com o intuito de subsidiar a criação de uma política pública para o Estado, ao mesmo tempo em que fornece informações para dar suporte a todas as instituições públicas que se encontram em fase de implementação e institucionalização da gestão do conhecimento.

Sim! Aceitamos sugestões de publicações que tenham sido publicadas em repositórios de acesso aberto para divulgar no Observatório. Caso tenha interesse em divulgar sua publicação, envie um email para observatorio@ipea.gov.br.

 

Sim! As páginas amarelas são muito importantes para os profissionais de GC no setor público possam ter acesso ao trabalho de outros profissionais. A partir dessa base é possível encontrar profissionais para compartilhar experiências e estabelecer parcerias de trabalho. Caso você trabalhe ou pesquise sobre gestão do conhecimento no setor público e tenha interesse em ter seu perfil divulgado entre em contato conosco.

Sim! Todos os anos realizamos um Café do Conhecimento para fazer o levantamento das necessidades de informação dos profissionais de GC na administração pública. Caso você não possa participar da reunião para debater os temas abordados no observatório, envie suas sugestões para o email do observatório, para que possamos incluir suas sugestões na próxima reunião.

Sim! Esse observatório foi feito pensando na comunidade e toda contribuição é bem-vinda, para que mais profissionais possam ter seus trabalhos subsidiados pelas informações disponibilizadas aqui. Existem diversas formas de contribuir, de acordo com a disponibilidade e interesse de cada profissional. Caso tenha interesse em contribuir, continuamente ou pontualmente, entre em contato conosco em observatorio@ipea.gov.br.

Os textos do blog seguem um roteiro de sugestões que foram feitas no Café do Conhecimento realizado em abril de 2018. Na ocasião, foram convidados profissionais de gestão do conhecimento que trabalham na administração pública para que apresentassem suas necessidades de informação que poderiam ser supridas pelo Observatório. Faremos outro café do conhecimento aberto à administração pública em 2019 para atualizar a lista de sugestões de postagens para o blog.

Para os conteúdos relacionados a livros, artigos, monografias, dissertações e teses, a seleção é feita a partir de pesquisa em repositórios de acesso aberto. Até o momento, as pesquisas estão sendo feitas na Scielo, no Oasisbr, e nos repositórios do Ipea e da Enap. Caso você tenha sugestões de livros e produções técnicas/acadêmicas que estejam em acesso aberto, envie para nós a sua sugestão.

O conteúdo da seção “O que é gestão do conhecimento” é construído colaborativamente. Nossa equipe desenvolveu a taxonomia que é a base dessa seção. Essa taxonomia representa os conceitos transversais à área de gestão do conhecimento. Caso você queira colaborar na escrita dos termos dessa seção, entre em contato conosco. Todos os textos do Observatório possuem autoria. Portanto, todas as suas contribuições serão identificadas também nessa seção e as pessoas que contribuírem com a construção das páginas, serão identificadas como autores.

As páginas amarelas identificam profissionais de gestão do conhecimento de acordo com a indicação de pessoas e com o interesse dos profissionais em terem seu perfil profissional divulgado pelo observatório. Essa seção é muito importante para os profissionais de GC no setor público possam ter acesso ao trabalho outros profissionais. Caso você trabalhe ou pesquise sobre gestão do conhecimento no setor público e tenha interesse em ter seu perfil divulgado entre em contato conosco.

Quanto à seção de eventos, fizemos o levantamento dos eventos mais conhecidos da área de gestão do conhecimento. Essa agenda é reservada para a divulgação de todo e qualquer evento que seja de interesse aos profissionais de GC na administração pública. Caso você queira divulgar seu evento, como cafés do conhecimento abertos ao público, entre em contato conosco.

Por fim, a seção de vídeos é atualizada à medida nossa equipe encontra vídeos relacionados à gestão do conhecimento nas plataformas abertas. Caso você tenha sugestão de vídeos e de canais, entre em contato conosco. Conforme pode ser observado, todas as seções do Observatório necessitam de constante atualização. Toda contribuição é bem-vinda para que o Observatório cumpra sua missão de subsidiar o trabalho dos profissionais de GC na administração pública. Caso você tenha interesse em contribuir na construção de qualquer um dos conteúdos acima, entre em contato com nossa equipe em observatorio@ipea.gov.br.

 

Atualmente, não. O Ipea prestou, no período de 2012 a 2017, assessoria a diversas organizações na implementação do Modelo de Gestão do Conhecimento na Administração Pública Brasileira. Esse modelo foi criado pelo Ipea em 2012 e serviu de base para a implementação de GC em instituições como agência reguladoras (SAR/ANAC e ABDI), uma empresa estatal (ECT), um órgão do Ministério Público Estadual (DTI/MPDFT), órgãos estaduais (Polícia Civil e Militar de Minas Gerais) e uma fundação pública vinculada ao Ministério da Saúde (Fiocruz).

Porém, no momento, o Ipea não está prestando consultorias sobre Gestão do Conhecimento. Nós continuamos abertos a conversas, eventos e benchmarkings para conversar sobre a experiência do Ipea na área de GC, porém não estamos prestando consultorias.

Atualmente, quando uma instituição entra em contato conosco, nós oferecemos uma oficina chamada Retrospectiva de Projetos. A aplicação dessa oficina tem o objetivo de auxiliar no andamento de projetos de gestão do conhecimento nas instituições, independente do estágio de implementação que o projeto de GC se encontre. Caso a instituição aprove, as lições aprendidas são divulgadas no observatório, para que outras instituições possam aprender a partir da experiência. Mais informações a respeito da retrospectiva de projetos podem ser encontradas na questão abaixo.

Trata-se de um encontro de aprendizagem realizado após a conclusão de um projeto ou de uma etapa importante do projeto para compartilhar lições aprendidas. O foco é no futuro. O objetivo é identificar e anotar as lições aprendidas no projeto. As lições devem ser compartilhadas com outros para que eles possam repetir o sucesso e evitar o fracasso.

A retrospectiva de projeto visa, entre outras coisas:

  1. promover o clima aberto e cooperativo;
  2. identificar lições aprendidas valiosas para melhorar projetos no futuro; e
  3. concluir a execução de um projeto ou de uma etapa do projeto.

As seguintes perguntas devem ser feitas durante o encontro para avaliar o desempenho atual e pensando no desempenho futuro:

  1. O que deveria ter acontecido?
  2. O que aconteceu de fato?
  3. O que nós fizemos?
  4. Por que tivemos problemas?
  5. Por que nos saímos tão bem?
  6. O que nós devemos mudar para evitar problemas semelhantes? O que devemos manter para alcançar sucesso? Que contribuição podemos dar para ajudar a equipe do próximo projeto ter êxito? Atualmente, quando uma instituição entra em contato com o Ipea, nós oferecemos a condução de uma oficina de retrospectiva de projetos.

A aplicação dessa oficina tem o objetivo de auxiliar no andamento de projetos de gestão do conhecimento nas instituições, independente do estágio de implementação que o projeto de GC se encontre. Caso a instituição aprove, as lições aprendidas são divulgadas no observatório, para que outras instituições possam aprender a partir da experiência.

O café do conhecimento é uma forma de debate em grupos para refletir, criar e compartilhar conhecimentos e ideias que surgem em um ambiente colaborativo e sem confrontação. Os participantes não devem criticar a opinião dos seus colegas. Com frequência, a criação de ideias e o compartilhamento de conhecimentos durante o café são acima do que normalmente se vê no dia-a-dia das organizações.

É preciso um processo para que o Café do Conhecimento funcione de forma eficaz. Um dos pioneiros do café do conhecimento é David Gurteen (www.gurteen.com). Ele propõe o seguinte processo: 1) O café do conhecimento começa com participantes sentados em um círculo de cadeiras. O facilitador do café começa explicando o propósito dos cafés de conhecimento e a função da conversa no ambiente organizacional; 2) O facilitador apresenta o assunto a ser tratado e levanta uma ou duas perguntas abertas. Se o assunto for compartilhamento do conhecimento, o facilitador pode, por exemplo, perguntar: “Quais são as barreiras para o compartilhamento do conhecimento na organização e como superá-las?”; 3) após a introdução, o grupo se divide em pequenos grupos com cerca de cinco pessoas em cada grupo. Cada pequeno grupo discute as questões por cerca de 45 minutos. Não há facilitadores nos pequenos grupos e não é necessário redigir um resumo da discussão; 4) Os participantes de todos os pequenos grupos retornam para o grande círculo e o facilitador conduz a sessão final que deve durar 45 minutos. Nessa parte do Café do Conhecimento, as pessoas refletem sobre o que aconteceu nos pequenos grupos e compartilham ideias e conhecimentos que surgiram durante o debate. O café do conhecimento é mais eficaz quando o número de participantes fica entre 15 e 50 pessoas. Para valer a pena, o café deve durar entre uma e duas horas. A regra mais importante é que a maior parte do tempo deve ser dedicado à conversação.

O Ipea realizou uma série de cafés do conhecimento em 2016 e 2018 sobre os seguintes temas:

  1. Bases de conhecimento: A experiência de Furnas Centrais Elétricas com a participação de Cláudia Pocho. Data: 16/03/2016;
  2. Gestão do Conhecimento com foco em resultados com a participação de Cleide Gomes (ANAC). Data: 12/04/2016;
  3. Abordagens de avaliação de políticas públicas. Abordagem quantitativa quase-experimental com a participação de Daniel da Mata (Ipea). Data: 11/05/2016;
  4. Práticas de Gestão do Conhecimento. Programa de Mentoria da Petrobras com a participação de Paulo da Luz (Petrobras). Data: 14/06/2016;
  5. Abordagens de avaliação de políticas públicas. Análise de sequências e avaliação, monitoramento e formulação de políticas públicas com a participação de Bruno Cesar Pino Oliveira de Araújo. Data: 27/07/2016;
  6. Gestão estratégica do conhecimento com a participação de Rose Mary Juliano Longo (TransK); Data: 04/08/2016;
  7. Abordagem qualitativa de políticas públicas com a participação de Alexandre de Ávila Gomide. Data: 09/08/2016;
  8. O Observatório Ipea de Gestão do Conhecimento e Inovação na Administração Pública. Perspectivas de curto, médio e longo prazos. Data: 18/04/2018; e
  9. A Norma ISO 30.401 – Sistemas de Gestão do Conhecimento. Data: 03/10/2018.

Os novos cafés do conhecimento realizados pelo ipea são sempre divulgados neste observatório. Os cafés de 2019 serão divulgados em breve.

Estamos seguindo a rotina de publicar pelo menos um texto por semana no blog do observatório. Alguns textos e conteúdos dependem exclusivamente da participação de colaboradores e ainda não possuem periodicidade definida.



[Form ERROR not found!]

IPEA

facebook.png twitter.png youtube.pnglinkedin

Sobre o Observatório de  
Gestão do Conhecimento

O Observatório Ipea de Gestão do Conhecimento (GC)
e Inovação na Administração Pública - OIGC disponibiliza
informações atualizadas semanalmente sobre temas de
relevância para à excelência na gestão pública.
 
Ótima leitura!