Logo Ipea
Ipea lança obra sobre igualdade racial PDF Imprimir

Dez artigos constituem livro que será apresentado no dia 22, às 12h, no Museu Nacional, em Brasília

O livro Igualdade Racial no Brasil - Reflexões no Ano Internacional dos Afrodescendentes será lançado no próximo dia 22, segunda-feira, às 12h, durante a programação do Latinidades – Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha, no Museu Nacional, em Brasília.

A obra reúne dez artigos de pesquisadores, técnicos, gestores e militantes de entidades distintas, que abordam temas variados e de perspectivas diferentes a respeito da questão racial. São levantadas questões sobre o trabalho doméstico brasileiro, grandemente exercido por mulheres negras, a educação das relações étnico-raciais, segurança pública e o racismo institucional, quilombos, entre outras.

O lançamento contará com a presença das técnicas de Planejamento e Pesquisa do Ipea responsáveis pela organização do livro, Tatiana Dias Silva e Fernanda Lira Goes. Silvio Albuquerque, chefe de gabinete do ministro-chefe do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, participa da publicação e fará parte da apresentação.

Além disso, também integrarão a mesa de lançamento Rafael Guerreiro Osório, diretor de Estudos e Políticas Sociais (Disoc) do Ipea; Lilian Arruda Marques, engenheira agrônoma, assessora técnica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese); Claudia Mara Pedrosa, consultora Técnica do Ministério da Saúde, pesquisadora do Programa de Pesquisa para o Desenvolvimento Nacional (PNPD), na Coordenação de Igualdade de Gênero, da Disoc/Ipea; Rafael Sanzio Araújo dos Anjos, autor e coordenador do Projeto Geografia Afrobrasileira: Educação & Planejamento do Território (Projeto Geoafro), diretor do Centro de Cartografia Aplicada e Informação Geográfica (Ciga) e professor associado do Departamento de Geografia (GEA) da Universidade de Brasília (UnB).


O festival
Em sua 6ª edição, o Latinidades será realizado em Brasília, de 19 a 27 de julho, sob o tema: Arte e Cultura Negra – Memória Afrodescendente e Políticas Públicas. O projeto desenvolve ações de formação, capacitação, empreendedorismo, economia criativa, cultura e comunicação, e traz ampla programação artística com shows, exposições, lançamentos literários, entre outros.

O festival envolve anualmente diversos estados brasileiros, com crescente participação internacional. Desenvolve diálogos com o poder público, organizações não-governamentais, movimentos sociais e culturais, universidades, redes, coletivos e outros grupos. Constitui, também, um espaço para convergir iniciativas do estado e da sociedade civil relacionadas ao enfrentamento do racismo e do sexismo e promoção da igualdade racial.

Leia o "Livro – Igualdade Racial no Brasil - Reflexões no Ano Internacional dos Afrodescendentes"