Arquivo da tag: Argentina

Panorama da economia mundial

Por Estêvão Kopschitz Xavier Bastos, Andreza Palma e Caio Rodrigues Gomes Leite

Este texto traz dados e análises da economia global, Estados Unidos, Europa – dividida em Área do euro e Reino Unido -, China e três países da América Latina: Argentina, Chile e México. De maneira geral, houve, em 2023, maior crescimento do que o esperado, os mercados de trabalho continuaram mostrando aquecimento, com baixas taxas de desemprego, e a inflação caiu, mas continua alta, em meio à elevação das taxas básicas de juros pelos bancos centrais, que agora indicam que elas devem ficar altas por mais tempo. Os déficits fiscais e as dívidas públicas estão em níveis acima dos de antes da pandemia, e os custos do serviço da dívida como porcentagem do PIB estão altos, como para os países em desenvolvimento, ou com previsão de subirem, como nas economias avançadas e nas de renda média. O crescimento no ano que vem deve ser semelhante ao deste, em termos globais, e pode se beneficiar da perspectiva do início do afrouxamento das políticas monetárias. Entretanto, há riscos, como a mencionada fragilidade fiscal, a demora na recuperação na indústria e os riscos geopolíticos. Cada região ou país, naturalmente, tem suas peculiaridades, exploradas nas subseções a eles dedicadas.

231121_cc_61_nota_15_economia_mundial_graficos_1_5

Acesse o texto completo



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Panorama da economia mundial

Estêvão Kopschitz Xavier Bastos, Andreza Palma e Caio Rodrigues Gomes Leite

Esta seção aborda os preços internacionais das commodities e as economias dos Estados Unidos, Europa, China e dos três países da América Latina mais relevantes para as exportações brasileiras: Argentina, Chile e México.

Os preços internacionais das commodities, medidos pelo índice do Banco Mundial, vêm caindo desde o pico de junho de 2022. Nos Estados Unidos, uma das principais preocupações na conjuntura recente se deu com respeito à crescente dívida do país e ao seu teto legal – foi aprovado um acordo que suspende o teto da dívida até 1o de janeiro de 2025, adiando o problema para depois das eleições presidenciais. Na Europa, embora a elevação dos preços tenha apresentado desaceleração maior que a esperada, o cenário na Área do Euro (AE) é de inflação ainda elevada. A taxa de desemprego em abril de 2023 na AE foi de 6,5%, o nível mais baixo pelo menos nos últimos dezessete anos. Após um longo período de restrições com a política de covid zero, as quais foram retiradas em dezembro de 2022, a China iniciou sua trajetória de recuperação, com crescimento do PIB de 4,5% no primeiro trimestre de 2023 em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. No entanto, os dados de atividade referentes a abril não foram tão favoráveis. A Argentina vem enfrentando um grave cenário de inflação. A economia do Chile encolheu 0,6%, no primeiro trimestre de 2023, comparado com o mesmo período do ano passado, após queda de 2,3% no trimestre anterior. A economia mexicana expandiu-se em 3,7% no primeiro trimestre de 2023, em comparação com o mesmo período de 2022.

230614_graficos

Acesse o texto completo



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------