Escassez de Médicos no Brasil: análise de alguns indicadores econômicos

Escassez de Médicos no Brasil: análise de alguns indicadores econômicos

Radar nº 32 - Abril de 2014

A discussão sobre a participação dos médicos e seu papel no sistema de saúde não é nova. Contudo, no Brasil, esta questão ganhou um novo contorno a partir da decisão do governo de instituir o programa Mais Médicos. Ao longo de 2013, a questão da escassez de médicos esteve sempre presente. Faltam médicos no país ou há médicos em quantidade suficiente, mas com problemas de ausência em algumas regiões ou especialidades?

De modo geral, as investigações disponíveis sobre essas questões analisam a escassez utilizando como parâmetros padrões normativos acerca da taxa ideal de médicos por habitante. Dispondo da taxa observada em uma região, em um país ou para uma determinada especialidade, comparam-na com um parâmetro definido por normas vigentes, por recomendações de organismos internacionais de especialistas no assunto ou, simplesmente, com o padrão verificado em outras localidades ou em outros países. Sendo a taxa observada significativamente menor que o padrão estabelecido, configura-se um cenário de escassez. Outros estudos tratam cenários de escassez como fenômenos econômicos, revelados por taxas internas de retorno positivas e crescentes, ou por remunerações com trajetórias ascendentes e superiores ao de outras carreiras, de tal forma a sinalizar uma demanda maior que a oferta de profissionais médicos atuantes naquela região, país ou especialidade.

Autoras: Roberta da Silva Vieira e Luciana Mendes Santos Servo

   
icon pdf Acesse o artigo completo em PDF