Evolução das Competências Tecnológicas Brasileiras entre 2002 e 2012: evidências a partir do portfólio de patentes

Evolução das Competências Tecnológicas Brasileiras entre 2002 e 2012: evidências a partir do portfólio de patentes

Radar nº 41 - Outubro de 2015

A formação e a evolução das competências são fortemente condicionadas pelas estratégias e pela configuração do ambiente competitivo no qual as firmas estão inseridas (Prahalad e Hamel, 1990). E a formação e a evolução dessas competências se manifestam tanto na composição dos ativos materiais quanto dos ativos imateriais, do qual o portfólio de direitos de propriedade industrial é parte integrante.

Com isso, temos que os direitos de exclusividade organizados sob a forma de patentes compõem – em conjunto com outros ativos materiais e imateriais – as vantagens relativas com as quais são formuladas as estratégias de concorrência e cooperação, que estabelecem, por sua vez, as possibilidades de posicionamento das firmas nas cadeias de valor. Daí a consolidação do atual regime de propriedade industrial, a partir do Acordo sobre Aspectos dos Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados ao Comércio (em inglês, Agreement on Trade-Related Aspects of Intellectual Property Rights – Trips), ser considerado um aspecto institucional fundamental das transformações econômicas observadas nas últimas décadas, especialmente em relação às estratégias de desenvolvimento nacionais.

Autores: Diego Boschetti Musskopf e Mauro Catharino Vieira da Luz

   
icon pdf Acesse o artigo completo em PDF