Dinâmica Endógena de Firmas Formadas por Agentes em Rede: uma análise exploratória

Dinâmica Endógena de Firmas Formadas por Agentes em Rede: uma análise exploratória

Radar nº 45 - Junho de 2016

A hipótese de Coase (1937) sobre a natureza da firma faz uso do princípio de que as organizações servem ao propósito de reduzir os custos de transação, implicando a ideia da firma como resultado ótimo a partir de restrições contratuais, e não necessariamente como resultado de limitações produtivas. Dessa forma, os atributos, tanto implícitos quanto explícitos, do desenho dos contratos seriam implementados no intuito de se minimizar os custos de transação entre os fatores especializados de produção. O comportamento da firma seria, então, o resultado de um processo complexo de decisão conjunta dentro de uma rede de relações de agência.

Autores: Bernardo Alves Furtado, Alexandre Messa, Isaque Daniel Rocha Eberhardt e Aguinaldo N. Maciente

   
icon pdf Acesse o artigo completo em PDF