Apresentação

Apresentação

Radar nº 59 - Abril de 2019

Esta edição no 59 do boletim Radar: tecnologia, produção e comércio exterior sintetiza alguns dos resultados apresentados no livro Financiamento do Desenvolvimento no Brasil, publicado pelo Ipea, além de trazer reflexões e análises adicionais.

No artigo introdutório, Financiamento do desenvolvimento no Brasil, João Alberto De Negri, Bruno César Araújo, Ricardo Bacelette, Dea Fioravante, Denise Leyi Li e Bernardo Furtado apresentam indicadores do mercado de capitais brasileiros, discutem a participação dos créditos livre e direcionado no país, e refletem sobre as justificativas econômicas para a intervenção do governo no mercado de crédito, via bancos públicos. Ainda, os resultados do estudo sintetizado no artigo constatam que a eliminação do custo de participação no mercado de crédito aumentaria o PIB per capita em 7%, por meio do crescimento da participação das firmas com crédito no mercado.

O artigo Comparações internacionais de bancos de desenvolvimento, de Bruno César Araújo e Ricardo Bacelette, identifica um grupo de países que pode servir como base para comparações com o Brasil no que tange à importância dos bancos de desenvolvimento (BDs). Esse grupo é heterogêneo quanto à renda per capita, mas situa grandes países de renda média – Brasil, China, Turquia e Índia – ao lado de grandes países desenvolvidos, como Estados Unidos e Alemanha. Os autores reforçam que, a despeito de diferenças histórico-institucionais importantes, esses países são unidos pela alta participação dos BDs em suas economias.

Em Elasticidade-juros e prazo da demanda de créditos livre e direcionado no Brasil, João Alberto De Negri, Patrick Franco Alves, Sergio Mikio Koyama e Bruno César Araújo analisam as contratações de créditos livre e direcionado de 378.651 empresas no Brasil, no período 2004-2017. O banco de dados elaborado, que associa informações de diversas instituições, inclui informações por operação de crédito, empresa, banco, modalidade do crédito, origem dos recursos, no mês e ano da contratação. O trabalho traz uma contribuição singular à literatura brasileira porque, além de identificar as variáveis que afetam a demanda de créditos livre e direcionado para as empresas brasileiras, identifica variáveis que caracterizam a relação entre esses dois mercados de crédito.

Esta edição finaliza com o artigo de André Rauen, Cayan Saavedra e Newton Hamatsu, intitulado Impactos do crédito direto da Finep no esforço de P&D das firmas beneficiárias. O estudo debate em que medida o crédito direto da Finep impacta o esforço tecnológico das firmas beneficiárias. Em suma, em razão da tomada de crédito, as firmas beneficiárias somam recursos próprios àqueles obtidos com o Estado ou apenas substituem os recursos próprios, que já seriam investidos, pelos recursos públicos? Os autores concluem que, ainda que firmas beneficiárias e não beneficiárias tenham aumentado seu esforço tecnológico, no primeiro caso este aumento foi mais expressivo, o que indica um resultado positivo da intervenção.

Esta edição do boletim Radar visa, mais uma vez, colaborar com o debate público e contribuir na avaliação e na formulação de políticas públicas.

   
icon pdf Acesse o artigo completo em PDF