Práticas de Orçamento de Capital: um estudo com empresas de água e saneamento listadas na BM&FBovespa

Tiago Lucimar da Silva, Ricardo Suave, Mauricio Condesso, Rogério João Lunkes

Resumo


Este trabalho objetiva identificar as principais práticas de orçamento de capital empregadas em empresas de água e saneamento listadas na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo  (BM&FBovespa). Para atingir este objetivo, foram utilizados questionários para a coleta dos dados. Com isso, os resultados da pesquisa apontam os métodos valor presente líquido (VPL) e taxa interna de retorno (TIR) como os mais empregados para avaliar os investimentos; entretanto constatou-se menor utilização do método de opções reais. Além disso, identificou-se que a técnica mais apontada pela literatura para definir a taxa mínima de retorno em novos investimentos, o custo médio ponderado do capital (WACC), é utilizada por todas as empresas. Para a análise de risco, verificou-se maior aplicabilidade de análise de cenários, seguida da simulação de Monte Carlo e análise de sensibilidade. Constatou-se ainda, que além da escolha da técnica mais adequada em avaliações de investimentos, outros procedimentos como a adoção de manual de investimentos e a realização de auditorias após os investimentos são muito importantes


Palavras-chave


Orçamento de capital; Técnicas; Empresas de água e saneamento; BM&FBOVESPA.

Texto completo:

PDF