TENDÊNCIAS DO CONSUMO DE ALIMENTOS E O PLANO REAL: UMA AVALIAÇÃO PARA A GRANDE SÃO PAULO

Denise Cavallini Cyrillo, Maria Sylvia Macchione Saes, Márcio Bobik Braga

Resumo


Este artigo examina o impacto do Plano Real sobre a estrutura dos gastos alimentares, com ênfase na Grande São Paulo. O Plano Real promoveu o aumento do poder aquisitivo em geral, e assim possibilitou uma melhora do consumo de alimentos do brasileiro e, em particular, do paulistano, tanto em termos quantitativos, quanto qualitativos. O artigo está organizado em quatro capítulos, além da introdução e da conclusão, os quais analisam as transformações estruturais, a evolução da renda e dos preços relativos, e o desenvolvimento da estrutura do consumo alimentar (desde os anos 70 e no período pós- Real) e de alguns indicadores da oferta de alimentos.

 

Universidade de São Paulo — campus de Ribeirão Preto.

 

** Doutora em economia pelo IPE/FEA/USP e pesquisadora da Fundação

Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE).


Palavras-chave


CONSUMO DE ALIMENTOS; PLANO REAL; SÃO PAULO

Texto completo:

PDF