Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr

topo livro_politicas_incent_inov_tecn_brasil

TD 1629 - Desigualdade de Transplantes de Órgãos no Brasil: Análise do Perfil dos Receptores por Sexo e Raça ou Cor

Alexandre Marinho, Simone de Souza Cardoso e Vivian Vicente de Almeida / Brasília, junho de 2011

O presente texto trata do perfil dos transplantados e do problema das desigualdades no acesso aos transplantes de órgãos no Sistema Nacional de Transplantes (SNT) do Sistema Único de Saúde (SUS). A equidade nos procedimentos relacionados com transplantes de órgãos no Brasil recebe garantias constitucionais. Um recorte por gênero indica que o Brasil tem população com maioria de mulheres. Sob o ponto de vista étnico, pretos e pardos são a maioria da população. As necessidades de transplantes não diferem muito entre esses diferentes grupos populacionais. A despeito disso, contata-se que a maioria dos transplantes de órgãos, no Brasil, são feitos em homens e em brancos. Existem inúmeras causas para essas desigualdades.

According to Brazilian Law, access to organ transplantation in Brazil should be equitable for all and not be influenced by race, geography, religion, or economic status. But we show that non-Whites and women are underrepresented among organ transplantation recipients, although they are no longer minorities in Brazil. The problem is reinforced, since there are not marked differences in the needs of organ transplantation against these groups. These inequalities may result from a number of factors.

 
acesseAcesse o documento (917KB)           

Surplus Labor and Industrialization</strong


 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea