Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr

15/10/2019 12:00
topo dp_2017

DP 0245 - Commodity Boom and Environmental Policy: what lies behind the Amazon deforestation

Rodrigo Mendes Pereira/ Brasília, september 2019

icon pdf Acesse o PDF (2 MB)  icon pdf

Executive Summary (125 KB)

   

This paper investigates the apparent paradox of the mid 2000’s sharp reduction in the deforestation of the Brazilian Amazon that happened alongside fast growing commodity markets. Particular attention is given to the role played by PPCDAM, an environmental policy introduced by the federal government in 2004. We use a panel of 760 Amazon municipalities and 15 years to estimate the effects of well-known drivers in the deforestation process, such as cattle herd and soybean crops, as well as the effect of the conservation policy. The results suggest that the policy not only had a direct effect of reducing deforestation, but also rendered deforestation less sensitive to fluctuations in the Amazon commodity production. We also perform a counterfactual exercise, estimating the levels of deforestation that would have been registered, had the policy not existed. We estimate that the plan saved a total of 196 thousand square kilometers of forest between 2005 and 2015, corresponding to almost twice the total amount of deforestation observed during this period, and 4.9% of the entire Brazilian Amazon forest.

Keywords: deforestation; commodity boom; environmental policy; Brazilian Amazon.

Este artigo investiga o aparente paradoxo da forte redução no desmatamento da Amazônia brasileira de meados dos anos 2000, que ocorreu paralelamente a um rápido crescimento dos mercados de commodities. Uma atenção especial é dada ao papel desempenhado pelo PPCDAM, uma política ambiental introduzida pelo governo federal em 2004. Utilizamos um painel de 760 municípios da Amazônia e 15 anos para estimar os efeitos de conhecidos condutores do processo de desmatamento tais como o rebanho bovino e as lavouras de soja, bem como os efeitos da política de conservação. Os resultados sugerem que a política não apenas teve um efeito direto de redução do desmatamento, mas também tornou o desmatamento menos sensível a flutuações na produção de commodities na Amazônia. Realizamos também um exercício contra factual em que estimamos os níveis de desmatamento que ocorreriam caso a política ambiental não tivesse sido implementada. Estimamos que a política salvou um total de 196 mil quilômetros quadrados de floresta entre 2005 e 2015, o que corresponde a quase duas vezes o total de desmatamento observado no período, e a 4,9% de toda a floresta amazônica brasileira.

Palavras-chave: desmatamento; boom de commodities; política ambiental; Amazônia brasileira. 

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea