Twitter
Youtube
facebook
LinkedIn
Google +

 

06/08/2018 10:55

Indicador Ipea de Investimentos aponta alta de 9,4% em junho


Recuperação, no entanto, não impediu que a formação bruta de capital fixo encerrasse o segundo trimestre com recuo de 0,9%

O Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) registrou alta de 9,4% em junho, resultado que compensou quase toda a queda de 10,4% observada em maio – provocada, em grande parte, pela greve dos caminhoneiros. No entanto, o crescimento de junho não foi suficiente para impedir que o indicador de investimentos fechasse o segundo trimestre de 2018 com variação negativa de 0,9% frente ao primeiro.

Em relação a junho de 2017, o indicador atingiu patamar 5,9% superior. Por sua vez, na comparação do segundo trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, os investimentos tiveram uma expansão de 5,1%. Com isso, o resultado acumulado em 12 meses foi uma alta de 2,9%.

Entre os indicadores que compõem a FBCF, foi verificada em junho uma elevação de 20% no consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came), que corresponde à produção doméstica líquida das exportações e acrescida das importações. No segundo trimestre, o Came ficou positivo em 2,3%. A produção interna de bens de capital líquida de exportações, por sua vez, cresceu 16,8%, e a importação de bens de capital avançou 15,2% frente a maio.

O indicador de construção civil recuperou boa parte das perdas que haviam sido registradas em maio: teve alta de 9,7% em junho. Ainda assim, o setor encerrou o segundo trimestre com retração de 3,4%. Por fim, o indicador da FBCF denominado “outros ativos fixos” permaneceu estável.

Acesse o indicador no blog da Carta de Conjuntura

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea