Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
td-banner

TD 2344 - Crescimento do Emprego nas Firmas da Economia Brasileira: resultados por grupos de idade e tamanho

Danilo Santa Cruz Coelho, Carlos Henrique Corseuil e Miguel Nathan Foguel, Rio de Janeiro, novembro de 2017 

 

Usando dados longitudinais da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) no período de 1993 a 2013, este texto confirma que a parte do meio da distribuição de tamanho das firmas é ausente no Brasil, e, aparentemente, esta característica é mais intensa aqui do que em outros países para os quais existem resultados disponíveis. Com base nesse aspecto, nossa análise da dinâmica do emprego ao longo do ciclo de vida dos estabelecimentos fornece algumas pistas sobre por que há um vazio relativo no meio da distribuição de tamanho. Considerando um estabelecimento representativo, os resultados mostram que ele nasce pequeno (talvez demasiado pequeno) e que o padrão da taxa de crescimento ao longo de seu ciclo de vida impõe um intervalo de tempo considerável para ultrapassar o limiar de um de médio porte. A aplicação do método de decomposição de Deaton e Paxson (1994) mostra que o efeito da idade é o principal responsável por este padrão de ciclo de vida, com os efeitos de ano e de coorte de nascimento apresentando pequena influência sobre esse padrão.

Palavras-chave: crescimento das firmas; distribuição de tamanho; decomposição idade-período-coorte.

Using microdata of Brazilian firms from a longitudinal matched employee-employer data set (Rais) in the period from 1993 to 2013, this paper confirms that the middle part of the size distribution is “missing” in Brazil and apparently this feature is more intense than in other countries for which there are available results. Our analysis of the dynamics of employment over the life cycle of establishments provides some clues on why there is a missing middle in the size distribution. Considering a representative establishment, the results show that it is born small (perhaps too small) and that the pattern of the growth rate over its life cycle imposes a long time span to surpass the threshold of a mid-sized plant. Our results also indicate that age effects are the main component that explains the life cycle pattern of establishments. This result comes from the application of Deaton and Paxons (1994) decomposition method, which shows limited influence of year effects and birth-cohort effects.

Keywords: firm growth; firm size distribution; age-time-cohort decomposition; missing-middle.

 

  acesseAcesse o sumário executivo  acesseAcesse o documento (2 MB)

 

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea