Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
22/08/2017 14:26

Ipea estima crescimento de 10,9% do PIB Agropecuário em 2017

Novo indicador mensal do instituto foi lançado hoje na seção de Economia Agrícola da Carta de Conjuntura, com mais duas notas técnicas

O Ipea lançou nesta terça-feira (22) a seção de Economia Agrícola da Carta de Conjuntura nº 36 com um novo indicador mensal do Produto Interno Bruto (PIB) Agropecuário, além de projeções de curto e longo prazos. “A nova seção é um documento inédito com vários segmentos da economia agrícola e inaugura a parceria do Ipea com a Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, da Pecuária e do Abastecimento (SPA/MAPA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP)”, afirma o diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea, José Ronaldo Souza Jr., que edita a seção com o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea José Eustáquio Ribeiro Vieira Filho.

Os textos foram apresentados em seminário em Brasília, com a presença do presidente do Ipea, Ernesto Lozardo, do secretário de Política Agrícola do MAPA, o ex-ministro Nery Geller, do pesquisador e pioneiro da Embrapa Eliseu Alves, além de outras autoridades. Disponíveis no Blog da Carta de Conjuntura, os textos tratam do impacto macroeconômico de temas como os mercados e preços agropecuários, produção e emprego no agronegócio, seguro rural, crédito rural e evolução regional das atividades agropecuárias, além de projeções de longo prazo.

Indicador
O Indicador Ipea de PIB Agropecuário apontou uma alta de 13,5% acumulada no ano até o mês de junho, com destaque para a lavoura, que cresceu 19,2% no período, enquanto a pecuária apresentou queda de 0,8%. Apesar desse elevado crescimento no ano, o indicador mostrou uma variação negativa de 2,9% no segundo trimestre em relação ao trimestre anterior (na série com ajuste sazonal). Ainda assim, a previsão para o ano é de um crescimento de 10,9%.

A análise divulgada pelo Ipea também revelou que a safra recorde deste ano influenciou a queda dos preços dos grãos: “Entre os grãos, principalmente para a soja, o milho e o trigo, o movimento marcante no primeiro semestre foi de retração dos preços recebidos pelos produtores em relação ao ano de 2016, marcado por forte alta nesses mercados. No caso da soja, os preços foram pressionados para baixo pela produção recorde de 114 milhões de toneladas, 19,4% superior à da safra anterior. Por outro lado, o volume também recorde de 44 milhões de toneladas exportadas no primeiro semestre, quantidade 14% superior à temporada passada, limitou o movimento de queda nos preços domésticos.”

Em relação aos empregos no agronegócio, no primeiro trimestre de 2017 houve uma redução de 3,9% no total de pessoas ocupadas, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Essa redução se deu principalmente na agropecuária e majoritariamente na região Nordeste do país, onde 70% da redução foram verificados.

Confira os estudos no blog da Carta de Conjuntura






 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea