Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
10/05/2017 10:30

Além das médias: IDHM traz pela 1ª vez dados separados por sexo, cor e situação domiciliar
Resultados estão reunidos no Atlas de Desenvolvimento Humano lançado nesta quarta

 

O Atlas de Desenvolvimento Humano lançado nesta quarta-feira dia 10, classifica pela primeira vez os resultados por sexo, raça e situação domiciliar. "Num país pouco homogêneo e com tantas desigualdades como o Brasil, é muito importante esse esforço feito pelo Ipea, pelo Pnud e pela Fundação João Pinheiro, de desagregar os resultados", observa Marco Aurélio Costa, técnico de planejamento e pesquisa do Instituto.

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) foi adaptado da metodologia do IDH Global pelo Pnud Brasil, Ipea e Fundação João Pinheiro para refletir de maneira mais precisa a realidade brasileira dentro dos municípios. Ele é feito com base nos censos demográficos do IBGE e mede a longevidade, a educação e a renda, e possibilita a comparação entre Unidades da Federação, Regiões Metropolitanas e municípios. Nesta edição, são abordados os índices de acordo com os censos de 2000 e 2010.

Desigualdade em números
A análise desagregada confirma a elevada desigualdade do país. Em 19 das 27 Unidades da Federação, o IDHM de negros é classificado como médio, contra apenas o estado de Alagoas no caso da população branca. Em todas as Unidades Federativas, o IDHM rural é médio ou inferior. Já no caso das mulheres, mesmo com maior expectativa de vida ao nascer e a maior escolaridade, em 2010 a renda média do trabalho foi 28% inferior à dos homens.

Os dados completos estão na íntegra do Atlas, disponível neste link.

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea