Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
09/05/2017 15:05

Os deficit da previdência são estruturais, explica diretor do Ipea
O envelhecimento da população é outro fator que implica na reforma da previdência

 

O diretor de Desenvolvimento Institucional do Ipea, Rogério Boueri, defende que a reforma previdenciária é necessária para a retomada do crescimento  econômico do país. "Essa retomada não vai ser a curto prazo", reconhece Boueri, "mas sem essa reforma, a gente vai ficar patinando durante muito tempo". Para o diretor, uma das problemáticas é a dinâmica populacional do Brasil, que está envelhecendo e deve superar o número de contribuintes no futuro.

Boueri aponta também os desequilíbrios estruturais da previdência, que não consegue se sustentar mesmo com o número de contribuintes maior que os de beneficiados. "Esses deficit não podem ser sanados apenas cobrando credores. Mesmo que você conseguisse cobrar de todos os devedores tudo o que eles devem à previdência, o que é virtualmente impossível, você conseguiria cobrir três anos de deficit. Depois disso, você não teria mais de onde cobrar e o deficit persistiria".

O especialista destaca também a aproximação da idade mínima de aposentadoria entre homens e mulheres e o aumento do tempo de contribuição como elementos positivos das propostas para a reforma. "Se nós não fizermos agora, vamos fazer no futuro em condições ainda piores", conclui o diretor.

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea