Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
20/03/2017 15:28

Nota Técnica - 2017 - março - Número 35 - Disoc

Previdência e gênero: por que as idades de aposentadoria de homens e mulheres devem ser diferentes?


Organizadores: Joana Mostafa, Alexandre Arbex Valadares, Marcelo Galiza Pereira de Souza, Marcela Torres Rezende e Natália de Oliveira Fontoura

 

icon pdf Acesse o PDF (1.624 KB)  

 

   

 

A Previdência Social no Brasil, conquanto tenha por eixo a relação entre contribuição e benefício, passou a comportar, ao longo dos anos, subsistemas subsidiados com alíquotas e obrigações de contribuição diferenciadas, a fim de estender a proteção social a trabalhadores e trabalhadoras cujos vínculos com o mundo do trabalho não se caracterizam pelo assalariamento formal de longo prazo e cujas atividades envolvem graus consideráveis de penosidade. A inclusão previdenciária de trabalhadores/as rurais[1], de autônomos/as e trabalhadoras domésticas tornou-se possível a partir da adoção de regras diferenciadas de acesso ao sistema, que, adaptando a lógica contributiva a condições específicas de trabalho e ocupação, deu lugar a um regime mais equitativo.



[1] Para uma discussão mais detalhada a respeito da previdência rural, ver: Galiza e Valadares (2016).

 

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea