Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
topo td

TD 2254 - Armas de Fogo e Suicídios

Daniel Cerqueira, Danilo Santa Cruz Coelho, Marcelo Fernandes e Jony Pinto Junior , Brasília, novembro de 2016


Existe praticamente um consenso de que a proporção de suicídios cometidos com armas de fogo em relação ao suicídio total é a melhor maneira de medir indiretamente a prevalência dessas armas. No entanto, essa proxy não é precisa para localidades com baixa densidade populacional, tendo em conta que os suicídios são eventos raros. Para contornar esse problema, exploramos as características socioeconômicas das vítimas de suicídio, de modo a propor uma nova proxy para prevalência de arma de fogo. Avaliamos o nosso indicador com microdados de suicídio do Ministério da Saúde (MS), entre 2000 e 2010.

Palavras-chave: crime; arma de fogo; efeitos fixos; logit; suicídios; violência.

There is virtually a consensus that the ratio of suicides committed with guns to total suicides is the best way to indirectly measure gun ownership across different locations. However, such a proxy is not accurate for any locality with low population density in view that suicides are rare events. To circumvent this issue, we exploit the socioeconomic characteristics of the suicide victims so as to come up with a novel proxy for gun ownership. We assess our indicator using suicide micro-data from the Brazilian Ministry of Health between 2000 and 2010.

Keywords: crime; firearm; fixed effects; logit; regularization; suicides; violence.


 acesseAcesse o sumário executivo  acesseAcesse o documento (1 MB)

 

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea