Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
03/10/2016 09:58

Especialistas debatem as relações entre Chile e Brasil

Com apoio da Embaixada do Chile, CAF e Cepal, evento promoveu diálogos sobre inserção internacional e a integração entre países latino-americanos

O Ipea realizou nesta quinta-feira, dia 29, o evento Diálogos Internacionais - Chile e Brasil, na sede do Instituto, em Brasília. O debate é fruto de parceria com a Embaixada do Chile no Brasil e tem o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). Especialistas brasileiros e chilenos discutiram a integração entre os dois países e como conseguir uma maior inserção internacional. “O Brasil é pouco aberto ao comércio internacional. Precisamos pensar em política externa para aumentar nossa competitividade e abrir nosso mercado”, frisou o vice-presidente do Ipea, Cláudio Hamilton.

O embaixador do Chile no Brasil, Jaime Gazmuri Mujica, destacou que as relações entre Brasil e Chile têm sido historicamente estreitas, com o compartilhamento de uma agenda rica e variada. “Qual o futuro dos processos de integração no cenário regional? Precisamos refletir conjuntamente sobre esses desafios”, afirmou. Também participaram da abertura do evento o diretor-representante do CAF no Brasil, Victor Rico, e o diretor da Cepal no Brasil, Carlos Mussi.

América Latina e China

Para o ministro João Carlos Parkinson de Castro, do Ministério das Relações Exteriores, o momento é de buscar saídas para aprofundar o processo de integração. “Não é uma tarefa fácil, mas é necessário repensar o processo de integração, com mecanismos que estimulem a inovação, as cadeias globais, assegurando maior produtividade às nossas cadeias produtivas.” O diretor-adjunto de Estudos e Relações Econômicas e Políticas Internacionais do Ipea, Luis Fernando Lara Resende, defendeu processos de integração “sempre subordinados a princípios maiores, particularmente o respeito às instituições democráticas, às regras e aos direitos humanos”.

Osvaldo Rosales, ex-diretor da Cepal e ex-negociador de acordos comerciais chilenos, enfatizou que os diálogos entre Brasil e Chile devem se instituir sobre dois eixos: o apoio do bloco comercial Aliança do Pacífico (composto por Chile, Colômbia, México, Peru e Costa Rica) às negociações do Mercosul com a União Europeia e o apoio desses dois blocos latinos a iniciativas para aprofundar relações com a China. Além desse estreitamento da parceria com os chineses, Bolívar Pêgo Filho, técnico de planejamento e pesquisa do Ipea, ressaltou que a questão do financiamento e da capacitação são fundamentais para se pensar numa agenda de integração na América Latina.

Também participaram do debate Gonzalo Martner, diretor do Departamento de Gestão Pública da Universidade de Santiago do Chile e ex-subsecretário da Presidência da República, e Juan Claro, ex-presidente da Confederação de Produção e Comércio do Chile e membro de conselhos de empresas.

Vídeo: Assista às entrevistas com os debatedores do seminário Diálogos Internacionais - Brasil e Chile 

Vídeo: Confira a íntegra do seminário

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea