Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
11/03/2016 19:02
Especialistas debateram o uso de acervo digital e das TICs


Os temas foram discutidos no último dia do seminário internacional "Biblioteca do Século XXI: desafios e perspectivas", em Brasília

Para fechar o último dia do Seminário Internacional Biblioteca do Século XXI: desafios e perspectivas, realizado pelo Ipea de 7 a 9 de março, em Brasília, o evento trouxe como pauta das discussões os temas "acervo digital" e "tecnologia da informação". Pela manhã, Fabrício José Nascimento da Silveira (UFMG), falou sobre as bibliotecas, a memória institucional e o acesso aberto à informação, apresentando um estudo de caso da Biblioteca Central da UFMG.

Liliana Giusti Serra (SophiA Biblioteca; UNESP) concentrou sua apresentação na história e nos novos desafios das bibliotecas e nos livros digitais. "O livro digital não é novo. A gente imagina que seja, mas não é. A gente precisa entender um pouquinho o que ele é e algumas implicações que ele traz para a área da biblioteconomia e para o trabalho dos estudantes", destacou a especialista.

Na segunda mesa, o tema escolhido para debate foi o uso das tecnologias da informação e comunicação (TICs) nas bibliotecas. Dentro desse contexto, o professor David Vernon, da Universidade do Cariri (UFCA), destacou que hoje, no âmbito das bibliotecas, alguns serviços móveis podem ser oferecidos, como a leitura de ebooks, acesso a catálogos digitalmente, audiolivros e serviço de referência virtual. "As características de interação e de conexão são os pontos mais interessantes nos dispositivos móveis", analisou o professor.

Os serviços de referências digitais foram abordados pela doutora em Ciência da Informação e responsável pela biblioteca da Universidade Arturo Prat, do Chile, Alejandra Aguilar. Para ela, a grande parte da responsabilidade pelos serviços de referência para as bibliotecas do século XXI são dos próprios profissionais. "O profissional da referência deve adaptar-se para as necessidades do usuário". Segundo Alejandra, esse novo perfil de usuário que acessa os periódicos virtualmente pelos meios de comunicação possibilitados pelas TICs merece mais atenção: "É necessário uma maior interação entre o usuário e o bibliotecário para entender as reais necessidades".

O professor Ernest Abadal, da Universidade de Barcelona, explicou que os avanços tecnológicos devem ser aproveitados pelas bibliotecas para que o usuário, ao chegar ao espaço físico, tenha a mesma experiência que teve ao acessar as plataformas virtuais das bibliotecas. "Ao chegar à biblioteca, o usuário percebe que o que há à disposição no mundo virtual é bem inferior ao que está disponível no acervo físico". Abadal contou experiências de algumas bibliotecas na Espanha. "As instituições realizam consórcios para comprar tecnologias e dividirem entre si", finalizou.

Conectividade impõe novos desafios às bibliotecas

Futuro das bibliotecas da administração pública é tema de seminário

Vídeo: Assista aos destaques do seminário Bibliotecas do Século XXI: desafios e perspectivas

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea