Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo livro_politicas_incent_inov_tecn_brasil

TD 1997 - Taxa de Poupança e Consumo no Ciclo da Vida das Famílias Brasileiras: Evidência Microeconômica

Marcos Antonio Coutinho da Silveira e Ajax Reynaldo Bello Moreira / Brasília, agosto de 2014

Com dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2008-2009, o estudo avalia empiricamente as implicações da teoria do ciclo da vida/renda permanente para o comportamento das trajetórias do consumo e da taxa de poupança das famílias brasileiras no ciclo da vida. O objetivo é testar a validade da hipótese de suavização intertemporal do consumo por meio do acesso ao mercado de crédito, a qual, por sua vez, implica

uma taxa de poupança negativa na juventude e na velhice, quando a renda é relativamente baixa, e uma taxa positiva na meia-idade, quando a renda é alta. Supondo forte correlação entre educação e renda permanente, a amostra de famílias é dividida em grupos com diferentes níveis de escolaridade, uma vez que a capacidade de endividamento das famílias pode depender de seu estoque de riqueza e capital humano.
Os resultados revelam a existência de um forte paralelismo entre renda e consumo correntes para todos os níveis de escolaridade. Em consequência, a taxa de poupança permanece positiva – devido ao motivo precaução – praticamente ao longo de todo o ciclo da vida, sendo mais elevada nas famílias de maior escolaridade. Uma possível explicação é que obstáculos institucionais para o acesso ao mercado de crédito impedem que as famílias brasileiras suavizem seu consumo no ciclo da vida mesmo quando isto é a alocação ótima resultante de suas preferências.

Palavras-chave: taxa de consumo; ciclo da vida.


With data from the Consumer Expenditure Survey of 2008-2009, the work assesses empirically the implications of the theory of life/permanent income for the behavior of the trajectories of consumption and savings rate of Brazilian families in the life cycle. The objective is to test the validity of the hypothesis of intertemporal consumption smoothing through access to the credit market, which in turn implies a negative savings rate for young and old families, when income is low, and a positive rate for middle aged families, when income is high. Assuming strong correlation between education and permanent income, the sample of households is divided into groups with different levels of education, since the ability of household debt may depend on your stock of wealth and human capital. The results reveal the existence of a strong parallel between income and current consumption for all levels of schooling, and this fact is more pronounced for the lower levels. As a consequence, the saving rate remains positive – for precautionary reason – practically throughout the life cycle. One possible explanation is that institutional barriers to access the credit market prevent Brazilian families from smoothing consumption through the life cycle.

Keywords: consumption rate; life cycle.


acesseAcesse o sumário executivoacesseAcesse o documento (918 KB) 


 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea