Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
27/02/2014 09:45

Taxa de informalidade manteve tendência de queda

Boletim do Mercado de Trabalho nº 56 mostra que, enquanto outros índices oscilaram, o trabalho informal diminuiu em todos os meses de 2013

O mercado de trabalho brasileiro continua apresentando uma queda constante nos níveis de informalidade. Assim como nos últimos anos, em 2013 essa tendência foi observada. O percentual médio do trabalho informal do ano passado ficou em 33%. Em 2012, essa taxa se fixou em 34%. “A propensão à queda deve ser a tônica para este ano. Em janeiro de 2014, o índice ficou em 32,2%, a mais baixa já encontrada para esse mês em todos os anos”, afirmou Carlos Henrique Corseuil, diretor-adjunto da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais (Disoc) do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no lançamento do Boletim do Mercado de Trabalho (BMT), nesta quinta-feira (26/02).

Em valores médios, a taxa de desemprego também apresentou redução em comparação a 2012. A média em 2013 foi de 5,4%, contra 5,5% de dois anos atrás. Embora o desemprego tenha se elevado no primeiro semestre, como observado nos últimos anos, por causa de fatores sazonais, a taxa de dezembro atingiu o menor patamar desde a implantação da Pesquisa Mensal de Emprego (PME/IBGE): 4,3%.

“O nível médio da taxa de ocupação cresceu 0,7% em relação a 2012”, disse Corseuil, durante a apresentação do BMT. O percurso desse índice em 2013 apresentou uma queda contínua entre janeiro e abril, o que contrasta com o aumento registrado nesse período em outros anos. Já nos meses seguintes, a tendência foi de elevação. “A melhora na ocupação se deu porque cerca de 159 mil postos de trabalho foram criados no ano passado”, esclareceu.

Rendimentos
O rendimento habitual da população também variou ao longo de 2013. De fevereiro a julho, houve uma diminuição. Já a partir da segunda metade do ano, a propensão foi de aumento, em uma intensidade maior que a de anos anteriores. Assim, o rendimento médio nas seis Regiões Metropolitanas da PME (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre) encerrou o ano em R$ 1.929. Esse valor representa um ganho de 1,9% em relação ao computado em 2012.

A capital gaúcha foi a que registrou o maior aumento do rendimento médio: 5,2% entre 2012 e 2013. Já Salvador, foi a única região que apresentou um decréscimo: -6,8%. O Boletim do Mercado de Trabalho também trouxe a variação dos rendimentos dos trabalhadores dos setores públicos e privados. No primeiro grupo o aumento foi de 0,5%, enquanto, no segundo, foi de 2,9%.

Leia o boletim 'Mercado de Trabalho nº 56' 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea