Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
topo livro_politicas_incent_inov_tecn_brasil

TD 1901 - Relações Universidade-Empresa no Brasil: O Papel da Infraestrutura Pública de Pesquisa

Fernanda De Negri, Luiz Ricardo Cavalcante, Patrick Franco Alves / Brasília, novembro de 2013

Neste trabalho, discutem-se as relações universidade-empresa no sistema brasileiro de inovação, buscando analisar as características da infraestrutura de pesquisa que afetam sua propensão a interagir com o setor produtivo. Com base em regressões logísticas, procuram-se identificar, em um amplo conjunto de variáveis explicativas, as características da infraestrutura de pesquisa que aumentam sua probabilidade de prestação de serviços às empresas. Empregam-se, além dos dados primários coletados em um survey aplicado a uma amostra de instituições vinculadas ao Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI), dados relativos à produção científica dos pesquisadores disponíveis na plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a sua produção tecnológica disponíveis no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). A escolha das variáveis explicativas ampara-se em uma breve revisão da literatura sobre o papel da infraestrutura de pesquisa nos sistemas de inovação. Esta revisão contempla ainda um breve histórico da interação recente entre a infraestrutura de pesquisa e o setor produtivo no Brasil com o propósito de amparar a discussão dos resultados obtidos. As principais conclusões do trabalho são: i) o porte do laboratório – medido pelo número de pesquisadores filiados – e a qualificação de sua equipe de pesquisa afetam de maneira positiva e significante sua probabilidade de interagir com o setor produtivo; ii) laboratórios multidisciplinares tendem a interagir mais que laboratórios concentrados em uma única área de conhecimento; e iii) parece haver um tradeoff entre produção científica e pesquisa orientada para o mercado, uma vez que o número de artigos científicos publicados pelos pesquisadores que pertencem aos laboratórios é negativamente correlacionado com a probabilidade de prestar serviços às empresas.

This paper discusses the university-enterprise interactions in the Brazilian innovation system by focusing on the characteristics of the research infrastructure which affects its propensity to interact with the industrial sector. Logistic regressions have been used to identify, in a wide set of explanatory variables, the characteristics of the research infrastructure which increase its probability of supplying technological services to firms. Besides the primary data collected from a survey carried out in a sample of institutions related to the Brazilian Ministry of Science, Technology and Innovation (MCTI), data concerning the scientific and technological production of the researchers affiliated to each laboratory have also been used in the regressions. The choice of the explanatory variables was based in a brief literature review on the role of the research infrastructure in the national innovation systems. Aiming at supporting the discussion of the results of the regressions, this review also included a brief report of the recent interactions between the research infrastructure and the industrial sector in Brazil. The main findings of the logistic regressions are i) the size of the laboratory (as measured by the number of affiliated researchers) and of the qualification of its research team positively and significantly affects its propensity to interact with the industrial sector; ii) multidisciplinary laboratories tend to interact more with the industrial sector than laboratories focused on a single field of expertise; iii) there seems to be a tradeoff between scientific publications and market oriented research, since the number of papers published by the affiliated researchers is negatively correlated to the probability of supplying technological services to firms.

 

acesseacesse o sumário executivoacesseAcesse o documento (320KB)



 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea