Twitter
Youtube
facebook
Google +
Google +

 

tips and trick
26/05/2010 09:45
Relatório Nacional 2005

O segundo Relatório Nacional de Acompanhamento dos ODM apresenta algumas inovações em relação ao primeiro, tais como adaptação das metas à realidade brasileira e a incorporação de 60 novos indicadores àqueles propostos pelas Nações Unidas. Encontra-se abaixo quadro contendo as 18 metas propostas pelas Nações Unidas e as novas metas estabelecidas pelo Brasil.
Metas da ONU Metas brasileiras
Meta 1: reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda inferior a 1 dólar PPC por dia (situação de extrema pobreza). Meta 1A: reduzir a um quarto, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda inferior a 1 dólar PPC por dia.
Meta 2: reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população de sofre de fome. Meta 2A: erradicar a fome entre 1990 e 2015.
Meta 3: garantir que, até 2015, as crianças de todos os países, de ambos os sexos, terminem um ciclo completo de ensino. Meta 3A: garantir que, até 2015, as crianças de todas as regiões do país, independentemente de cor/raça e sexo, concluam o ensino fundamental.
Meta 4: eliminar as disparidades entre os sexos no ensino fundamental e médio, se possível até 2005, e em todos os níveis de ensino, o mais tardar até 2015.
Meta 5: reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos de idade.
Meta 6: reduzir em três quartos, entre 1990 e 2015, a taxa de mortalidade materna.

Meta 6A: promover, na Rede do Sistema Único de Saúde (SUS), cobertura universal por ações de saúde sexual e reprodutiva até 2015.

Meta 6B: até 2015, ter detido o crescimento da mortalidade por câncer de mama e de colo de útero, invertendo a tendência atual.

Meta 7: até 2015, ter detido a propagação do HIV/Aids e começado a inverter a tendência atual.
Meta 8: até 2015, ter detido a incidência da malária e de outras doenças importantes e começado a inverter a tendência atual.

Meta 8A: até 2015, ter reduzido a incidência da malária e da tuberculose.

Meta 8B: até 2010, ter eliminado a hanseníase.

Meta 9: integrar os princípios do desenvolvimento sustentável nas políticas e programas nacionais e reverter à perda de recursos ambientais.
Meta 10: reduzir pela metade, até 2015, a proporção da população sem acesso permanente e sustentável a água potável e esgotamento sanitário.
Meta 11: até 2020, ter alcançado uma melhora significativa na vida de pelo menos 100 milhões de habitantes de assentamentos precários.
Meta 12: avançar no desenvolvimento de um sistema comercial e financeiro aberto, baseado em regras, previsível e não-discriminatório.
Meta 13: atender às necessidades especiais dos países menos desenvolvidos, incluindo um regime isento de direitos e não sujeito a cotas para as exportações dos países menos desenvolvidos; um programa reforçado de redução da dívida dos países muito pobres endividados e a anulação da dívida bilateral oficial; e uma ajuda pública para os países em desenvolvimento mais generosa aos países empenhados na luta contra a pobreza.
Meta 14: atender às necessidades especiais dos países sem acesso ao mar e dos pequenos estados insulares em desenvolvimento.
Meta 15: tratar globalmente o problema da dívida dos países em desenvolvimento, mediante medidas nacionais e internacionais de modo a tornar a sua dívida sustentável.
Meta 16: em cooperação com os países em desenvolvimento, formular e executar estratégias que permitam que os jovens obtenham um trabalho digno e descente.
Meta 17: em cooperação com as empresas farmacêuticas, proporcionar o acesso a medicamentos essenciais a preços acessíveis, nos países em vias de desenvolvimento.
Meta 18: em cooperação com o setor privado, tornar acessíveis os benefícios das novas tecnologias, em especial das tecnologias de informação e comunicações.

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea