Twitter
Youtube
facebook
LinkedIn
Slideshare

 



topo livro_politicas_incent_inov_tecn_brasil

TD 1639 - Propagação Assimétrica de Choques Monetários na Economia Brasileira: Evidências com Base em um Modelo Vetorial não Linear de Transição Suave
Vinícius dos Santos Cerqueira, Márcio Bruno Ribeiro e Thiago Sevilhano Martinez / Brasília, julho de 2011

Este trabalho busca aprofundar as investigações empíricas relacionadas aos efeitos assimétricos de choques monetários na economia brasileira. Como instrumental de análise, utiliza-se um modelo vetorial não linear de transição suave para variáveis relacionadas ao produto, ao nível de preços, à taxa de câmbio e ao indicador de política monetária. As funções de resposta a impulso estimadas evidenciaram que choques monetários positivos e negativos têm efeitos assimétricos sobre o crescimento do produto e a inflação. Quanto ao ciclo econômico, choques monetários contracionistas mostraram maior impacto em regimes de baixo crescimento, enquanto os choques expansionistas predominaram em períodos de maior crescimento. Ademais, evidencia- -se a rigidez da inflação e do crescimento do produto aos choques contracíclicos.

This paper attempts to extend empirical investigations about the asymmetric effects of monetary shocks in the Brazilian economy. We specify and estimate a nonlinear smooth transition vector autoregressive model including output, price level, exchange rate and a monetary policy indicator (Selic rate). Impulse response functions showed that positive and negative monetary shocks have asymmetric effects on output growth and inflation. Regarding to the business cycle, contractionary monetary shocks showed stronger effects in low-growth states while expansionary shocks were stronger in highergrowth periods. In addition, we found that inflation and output growth are rigid to countercyclical monetary shocks.


acesse  Acesse o documento (917KB)      


Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea