TD 0721 - Pobreza e Desigualdade no Brasil: O Esgotamento dos Efeitos Distributivos do Plano Real
Missão: “Aprimorar as políticas públicas essenciais ao desenvolvimento brasileiro, por meio da produção e disseminação de conhecimentos e da assessoria ao Estado nas suas decisões estratégicas”.
IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Ipea ao Vivo
Twitter
Youtube
facebook
Flickr
Google +
Imprimir

capa_notaTD 0721 - Pobreza e Desigualdade no Brasil: O Esgotamento dos Efeitos Distributivos do Plano Real

 

Sonia Rocha / Rio de Janeiro, abril de 2000

 

Partindo das evidências de que a pobreza absoluta no Brasil está associada à elevada desigualdade de renda, este trabalho faz uma retrospectiva da sua evolução nas últimas três décadas. Nos anos 70, ocorre forte redução da pobreza devido às taxas elevadas de crescimento da renda. Nos anos 80, até 1993, quando a incidência de pobreza acompanha as oscilações econômicas de curto prazo, pouco avanço é realizado. Finalmente, ocorre redução após o Plano de Estabilização de 1994, acomodando-se os indicadores desde então neste patamar. A estabilidade recente da incidência de pobreza para o país como um todo encobre trajetórias locais diversas, como melhorias no Centro-Oeste e agravamento nas áreas metropolitanas ? São Paulo particularmente. Dados relativos ao mercado de trabalho metropolitano nos últimos três anos revelam um processo acentuado de extinção de postos de trabalho para trabalhadores pouco qualificados, o que tende a afetar de forma adversa a incidência de pobreza e a desigualdade.

    acesseAcesse o documento (221.89 Kb)       

Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea