LEITURAS RECOMENDADAS/ APRESENTAÇÕES

Gestão do Conhecimento na Administração Pública

AUTORES:

Fábio Ferreira Batista, José Cláudio C. Terra, Carlos Olavo Quandt e Flávio Pacheco

EDITORA:

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea (Texto para Discussão No 1095), 2005, 122p.

POR QUE LER:

Este trabalho analisa as mudanças que estão ocorrendo na Gestão Pública no que se refere à implementação de práticas de Gestão do Conhecimento (GC) em 28 órgãos da Administração Direta e em seis empresas estatais do Executivo Federal Brasileiro.

O texto analisa a situação atual das práticas de Gestão do Conhecimento na Administração Pública Direta (governo federal); aborda as estratégias de implementação  da Gestão do Conhecimento; compara a situação do governo brasileiro com os governos dos países membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) participantes de pesquisa realizada em 2002; propõe recomendações e diretrizes para a política de governo eletrônico em Gestão do Conhecimento; e apresenta recomendações para a elaboração e a implementação de uma política de GC para o setor público.

Os resultados da pesquisa mostram a importância de uma política de Gestão do Conhecimento para sua efetiva institucionalização – a exemplo do que ocorreu em empresas estatais – nos órgãos da Administração Direta.

O estudo conclui que os esforços de GC encontram-se em níveis bastante distintos na Administração Pública Federal.  As grandes empresas estatais parecem se encontrar em níveis de formalização, implementação e obtenção de resultados semelhantes àqueles das organizações públicas dos países pertencentes à OCDE. O mesmo fato ocorre com alguns poucos ministérios avaliados: a maior parte deles, no entanto, ainda apresenta iniciativas e resultados muito incipientes em torno do tema.

Os resultados ainda tímidos são, em grande medida, uma consequência de iniciativas isoladas e esforços pulverizados, muitas vezes em um mesmo ministério; a ausência de comunicação e compartilhamento de informações internamente e entre as organizações sobre as práticas de GC; e, finalmente, o desconhecimento do tema entre membros da alta administração, de chefias intermediárias e de servidores de uma maneira geral. Tal situação demonstra que, para que ocorra a massificação da Gestão do Conhecimento na Administração Direta, uma política de GC ampla se faz necessária, com direcionadores estratégicos, alocação de recursos específicos e treinamento nos vários níveis organizacionais.