LEITURAS RECOMENDADAS/ APRESENTAÇÕES

O Desafio da Gestão do Conhecimento nas Áreas de Administração e Planejamento das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes)

AUTOR:

Fábio Ferreira Batista

EDITORA:

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea (Texto para Discussão No 1181), 2006.

POR QUE LER:

Neste trabalho analisa-se como as áreas de administração e planejamento de 45 Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) tratam o tema Gestão do Conhecimento (GC).

No trabalho, avalia-se a situação atual da implantação de práticas de GC nessas organizações; compara-se a situação da implantação de iniciativas de GC nas Ifes com o estágio em que se encontra a adoção de tais práticas nos órgãos e entidades da Administração Direta Federal; avalia-se o grau em que as instituições se encontram em relação à formalização e à explicitação da GC; propõem-se recomendações sobre medidas que os pró-reitores e dirigentes do Ministério da Educação devem adotar para consolidar os processos de gestão do conhecimento; e apresenta-se proposta de Ciclo Operacional de Gestão do Conhecimento para as áreas de administração e planejamento das Ifes.

Os resultados da pesquisa mostram que a implantação de práticas de gestão do conhecimento nas áreas de administração e planejamento das Ifes se encontra no estágio inicial nas três categorias analisadas. A comparação dos resultados desta pesquisa com os de estudo anterior, publicada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), mostra que tais áreas apresentam índices de implantação inferiores aos dos órgãos e entidades da Administração Direta Federal na maioria das práticas de GC.

Com relação à intenção estratégica, GC não é uma prioridade para a maioria das áreas administrativa e de planejamento das Ifes. Para mudar essa realidade, o trabalho recomenda – com base na literatura e em casos reais e bem-sucedidos de implantação – a adoção de várias medidas, assim como a utilização de Ciclo Operacional da Gestão do Conhecimento para melhorar a gestão de processos com vistas a tornar a GC parte das atividades diárias das instituições.